Connect with us

Politica

Construção do Hospital Oncológico de Luanda arranca este ano

Published

on

O presidente do MPLA manifestou, no passado sábado, a pretensão de construir Hospital Oncológico de Luanda, cujas obras devem iniciar ainda este ano, para garantir a qualidade de vida dos cidadãos.

O hospital, segundo João Lourenço, vai contar com a assistência técnica da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), sediada em Viena, Áustria, que ofereceu ajuda na formação de profissioais especialisados nesta área, entre médicos, enfermeiros e técnicos.

“Vamos cobrir um tipo de doença que, para nós, ainda é um bicho de sete cabeças, tendo em conta o pouco investimento feito no diagnóstico e tratamento das doenças cancerígenas”, frisou o líder do MPLA no acto político de sábado, na abertura da campanha política do seu partido.

Ao referir-se a doenças de fórum oncológico, reconheceu que o país ainda está muito longe de ter capacidade de diagnóstico, por isso, ultimamente, não tem sido possível detectar os casos  que surgem, com mais frequência em adultos ou em crianças.

Para esses casos, deu nota que o Governo é forçado a mandá-los para o exterior, a fim de receberem tratamento qualificado.

Na ocasião, João Lourenço anunciou, também, a requalificação e ampliação do Hospital Américo Boavida (HAB), cujas obras já estão em curso. Este hospital de referência, em funcionamento desde o tempo colonial, lembrou, serviu os luandenses e não só, durante muitos anos. “A esta instituição de saúde, devemos tirar o chapéu”, apelou o líder do MPLA. Durante muitos anos, argumentou João Lourenço, até surgirem outras unidades como o Hospital do Prenda e o Hospital Geral de Luanda, o “Américo Boavida” era, praticamente, a única unidade hospitalar a servir a capital e, de “tanto nos servir, ficou cansada e degradada por excesso de uso”.

“Tão degradado que sentimos ser nossa obrigação reabilitá-lo. As obras já começaram, e o hospital volta a entrar em funcionamento num período de dois a três anos”, pontualizou, sublinhando que “com a conclusão das obras, Luanda terá um hospital com outra qualidade de serviços médicos, não devendo nada a D. Alexandre do Nascimento ou outras unidades”, enfatizou.

O presidente do MPLA, João Lourenço, recordou, ainda, que o Américo Boavida, que sempre operou com os luandenses, foi no passado um Hospital Universitário, deixando de sê-lo, ficando o país há anos sem um hospital do género. Além da requalificação e ampliação do Américo Boavida, anunciou, também, a construção do novo Hospital Universitário de Luanda.

 “O país voltará a ter um Hospital Universitário, para preparar, de forma muito profissional, os quadros do sector da Saúde”, garantiu João Lourenço.