Connect with us

Partidos Politicos

Congresso da JURA: Domingos Palanga mostra-se confiante na vitória

Published

on

 

Com o fim de mandato do actual Secretário-Geral do braço juvenil da UNITA, Agostinho Lopes Kamuango, eleito no IV congresso realizado em Novembro de 2018, começou a corrida para o cargo mais alto da JURA, organização juvenil do maior partido na oposição. Domingos Eduardo Palanga mostra confiança na possível vitória, no congresso em que poderá concorrer com Tito Evangelista, Ariane Nhany e Antonio Marques.

Actual Secretário provincial de Luanda da JURA e deputado Assembleia Nacional, Domingos Eduardo Palanga, confirmou ao Correio da Kianda, a sua intenção de vir concorrer ao cadeirão máximo da juventude do maior partido na oposição. O jovem político disse que após vários proposta e apoios manifestados por parte da direcção do seu partido e da Juventude, vai avançar e apresentar a sua candidatura assim que for convocado o 5º congresso ordinário da JURA, que deverá ocorrer em Novembro próximo.

“Após ter acolhido um conjunto de sugestões por parte de quadros da direção da UNITA e do Comité Nacional da JURA, vamos remeter a nossa candidatura”.

Domingos Palanga afirma que foram ponderadas um conjunto de critérios quer estatutários, político e ideológico que segundo disse, lhe dão possibilidade de remeter a sua candidatura e disputar a liderança sem tirar mérito aos demais potenciais concorrentes.

O aspirante potencial candidato a liderança da JURA sublinha que tem tudo a seu favor, olhando para os também potenciais concorrentes tem tudo para vir substituir Agostinho Kamuango na liderança da JURA e “operar grandes transformações necessárias e denvolver à JURA a “sua real grandeza”.

O deputado sublinhou, no entanto, que só não manifestou publicamente até ao momento, por disciplina política partidária e pelo respeito ao regulamento eleitoral do congresso porque actual secretário geral está dentro do seu mandato. E se se proceder “isto pode configurar indisciplina partidária e falta de espírito de colaboração ao mandato do actual líder que elegeram no último congresso”.