Connect with us

Mundo

Comité Monetário do FMI: Magdalena Andersson será a primeira mulher a presidir o órgão

Published

on

A ministra das Finanças da Suécia, Magdalena Andersson, foi escolhida, na quinta-feira, para liderar o Comité Monetário e Financeiro do Fundo Monetário Internacional (FMI), e vai ser a primeira mulher a presidir a este órgão.

Magdalena Andersson vai ser presidente do Comité Monetário e Financeiro (IMFC, na sigla inglesa) durante três anos. Este órgão do FMI é constituído por 24 elementos, entre ministros das finanças de vários países e governadores de bancos centrais.

A governante sueca vai suceder em Janeiro ao governador do Banco Central da África do Sul, Lesetja Kganyago, que preside esta comissão desde 18 de Janeiro de 2018.

Magdalena Andersson é ministra das Finanças daquele país escandinavo desde Outubro de 2014 e já tinha ocupado outras funções no executivo sueco.

Há duas reuniões do IMFC por ano, normalmente em Abril e Outubro.

As duas reuniões deste não foram virtuais, por causa da pandemia, e o próximo encontro está agendado para 10 de Abril do próximo ano, em Washington. A evolução da pandemia ditará se esta reunião vai ser presencial ou nos mesmos moldes de 2020.

O IMFC examina as questões relacionadas com a economia global e aconselha o FMI sobre o trabalho que está a desenvolver.

No final de cada encontro o Comité Monetário e Financeiro emite um comunicado com as perspectivas do rumo que o FMI seguiu e com orientações para os seis meses seguintes.

Por Lusa