Conecte-se agora

Opinião

O começo do fim da UNITEL

Ladislau Neves Francisco

Publicados

on

o começo do fim da unitel - Design sem nome 9 - O começo do fim da UNITEL

A Unitel mais que uma empresa de telecomunicações, é sem margem para questionamentos, das maiores empresas de Angola. Isso fica evidente pela quantidade de empregos que gera, directos e indirectos, mas não apenas isso, a qualidade dos mesmos deve ser tida em conta e realçada.

A UNITEL, tal como a grande parte das empresas de Isabel dos Santos é um grande empregador. Mas mais que um grande, é um bom empregador! Aliás, por isso, tiro o chapéu, faço vénia e admito respeito a Isabel dos Santos.

São minimamente conhecidas as condições em que a Unitel surgiu e todo o ambiente envolta que de resto permitiu o grande e rápido crescimento da empresa, sem tirar mérito a gestão da mesma, que pressuponho ser feita por profissionais competentes, não ignoro o facto de o ambiente proteccionista quase que paternal e o todo apoio do Estado quer na eliminação da possibilidade de concorrência propriamente dita e outros, ajudou, e quase que apenas deu a Unitel esse caminho, crescer. E crescer rápido: em clientes, negócio, dinheiro! – Não é por acaso que para muitos, foi a Unitel dos principais itens para a ascensão de IS ao mundo dos ricos.

Mas como se costuma dizer, tudo tem o seu tempo, e parece que o tempo da UNITEL chegou! É que desde a chegada de JLO a pasta mais importante do Estado, Isabel dos Santos tem estado a ver a vida complicada; Vejamos: Saída da Sonangol, com contornos de humilhação e descrédito;
Anulação do contrato referente a sua Atlantic e o porto da barra do dande; não muito tempo depois, a notícia de que a Sonangol sai da UNITEL, anunciando que vai vender a sua participação na empresa.

Podemos estar a ser exageradamente pessimistas, afinal a Unitel tem história. Tem todo um caminho feito, e portanto, não vai desmoronar de um dia para outro por causa da saída de um accionista. É racional e aceite que se pense assim, mas não podemos deixar de pensar que sendo este accionista a Sonangol, a Unitel não perde apenas um accionista, perde um músculo financeiro e certamente algum peso da sua influência interna e mesmo externa. E para adicionar mais “açúcar” a ideia do começo do fim da grande Unitel, tem facto de estar a vista a vinda de um novo player para o sector, que vai como é natural, disputar o mercado com a mesma.

Pode parecer meio arcaico estar a vaticinar o fim de uma empresa por esta simplesmente perder um accionista, e é. Mas a forma como a Unitel está e domina o mercado é igualmente arcaica. E tudo por causa do proteccionismo que numa economia de mercado não devia existir. Pode-se também pensar em injustiça, afinal tem sempre a Movicel como concorrência…, mas se pensarmos um pouco mais, logo vemos que não. E os motivos são vários. Tão vasto o universo de motivos que atiram a Movicel para fora da capacidade de concorrer com a Unitel, que daria para outro texto, igual ou maior que este.

Portanto, como dito acima, podemos estar a esticar muito a corda, podemos estar a ser arcaicos, mas certamente começa o fim da UNITEL: Como empresa protegida, como empresa detentora do monopólio telecomunicações em Angola e certamente como maior família de Angola. A Unitel finalmente (feliz ou infelizmente) será só uma empresa, que tem que se adaptar ao mercado e lutar pela manutenção da posição que alcançar. O que será interessante pelo simples facto de nunca ter tido necessidade de o fazer.

Continue Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Publicidade

Colunistas

Ana Margoso
Ana Margoso (14)

Jornalista

António Sacuvaia
António Sacuvaia (223)

Editor

Diavita Alexandre Jorge
Diavita Alexandre Jorge (12)

Politologo

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (12)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (12)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (58)

Jornalista

Victor Hugo Mendes
Victor Hugo Mendes (9)

Jornalista e Escritor

Walter Ferreira
Walter Ferreira (6)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

Publicação