Connect with us

Politica

CNJ doa mais de 400 calçados à crianças em situação de vulnerabilidade social

Published

on

O presidente do Conselho Nacional da Juventude (CNJ), Isaías Kalunga, doou, nesta quinta-feira, 11, 423 pares de calçados para o mesmo número de crianças, da Escola do ensino primário N° 5083, “Mbanza Calumbo”, na comuna do Calumbo, que iam à escola descalços.

Isaías Kalunga, antes de partir para a comuna do Calumbo, foi recebido pelo administrador de Viana, onde passaram em resenha a situação política e social da juventude neste município, com maior número de habitantes do país.

O responsável do CNJ disse que a agremiação juvenil que dirige tem compromisso com acções de responsabilidade social e acredita que este gesto servirá como elemento essencial para o desenvolvimento das crianças.

“Vamos fazer fé que os calçados que trouxemos sirvam aos pequenos e que ele possam ter um ano lectivo 2020/2021, mais saudável e mais cômodo e possam também assimilar porque nos seus pés já têm um calçado”, disse.

O presidente do CNJ destaca que o objectivo principal do gesto é manter ao máximo a alto estima das crianças assistidas com calçados elemento essenciais para o dia-a-dia dos alunos, para irem à escola.

José António da Rocha, director da Escola N° 5083, “Mbanza Calumbo”, afirma que a acção do CNJ ter escolhido a escola que dirige, representa um gesto de “amor, esperança, carinho para com estas crianças”.

Maria João, de 10 anos, uma das beneficiárias, agradeceu o gesto e prometeu nunca mais faltar à escola, porque, segundo a menina, já tem um calçado para ir estudar.

Já Miguel, de 7 anos, visivelmente emocionado, disse que com o novo sapato irá lhe ajudar a concretizar o sonho de ser professor.

Segundo o presidente do CNJ, a escola primária N° 5083, “Mbanza Calumbo”, foi a segunda escola a receber esta doação, sendo que a primeira foi no princípio de mês de Janeiro, na Escola Makiesse, na província do Huambo. Kalunga garante que a acção estender-se-á, pelas demais escolas de outras províncias em que os alunos estão em situações de vulnerabilidade social.