Connect with us

Sociedade

Cidadão refugia-se no álcool para esquecer a Covid-19

Published

on

Um cidadão residente no Zango diz estar agastado de ouvir na rádio e assistir na televisão os números de casos positivos da Covid-19 a subirem no país. Por isso, decidiu comprar um garrafão de cinco litros de caporroto  (bebida espirituosa caseira) para beber, sempre que as habituais conferências de imprensa da Covid-19 vão ao ar.

Alegando fazer parte do grupo de risco, com 62 anos, Domingos Belito, mais conhecido por tio Belito, fez saber ao Correio da Kianda, que assim como ele, muitos são os cidadãos da sua idade no bairro Canguia-Zango, que sentem-se agora cada vez mais apreensivos com a subida vertiginosa de casos positivos da Covid-19 em Angola.

“Se for para me contaminar, terá que me encontrar aqui mesmo na minha casa, e se for para morrer que eu morra do próprio coronavírus, e não de pensamento, de tanto ouvir toda hora na rádio e assistir na televisão que os casos subiram. Estou cansado de tanto ouvir isso. Agora sempre que começam apresentar, prefiro beber meu caporroto”, fala.

Actualmente, a depender da sua cantina, explica que todas as semanas encomenda caporroto, e as vezes lunguila, em carrinhas que trazem mercadorias alimentares para Luanda.

“Os cinco litros de caporroto me aguentam uma semana e as vezes 10 dias. Com essa bebida, eu me distraio e esqueço as vezes esse problema do coronavírus, que agora parece não ter mais nada do que se falar a não ser da tal doença”, fez saber.