Connect with us

Destaques

Cidadão que levou tiro do meliante queimado em Talatona está em recuperação satisfatória no Maria Pia

Published

on

O Cidadão que levou tiros do meliante queimado vivo na terça-feira, em Talatona, quando saía de uma dependência bancária, está a recuperar de forma satisfatória, tal como avançou à imprensa o corpo clínico do Hospital Josina Machel Maria Pia, em Luanda, onde está internado.

O cidadão de 43 anos disse que depois de ter levantado somas de dinheiro em mais de 500 mil kwanzas, caminhava na companhia de um amigo, com quem estava andar, por volta das 12 horas, quando foram abordados por um meliante com uma arma “ameaçando-nos, pendindo a pasta: ´dé-me a pasta´. Parece algo que que foi informado”, desconfia.

Ele conta que depois de abordados pelo meliante que exigia a sua pasta, contendo os valores destinados ao pagamento das obrigações com o pedreiro da sua obra, decidiu, para afastar o perigo, arremessar a pasta uns metros adiante, para permitir pôr-se em fuga enquanto o meliante fosse à busca da pasta.  Para o seu espanto, “Pegou-me no braço, disse vamos apanhar a pasta juntos”, recorda. Em seguida atravessou a estrada sob o controlo do meliante armado. “Peguei a pasta, atirei novamente no outro lado, pedindo socorro, ele seguiu-me outra vez”.

Na terceira vez, optou por atirar a pasta para o interior do quintal do supermercado Candado, enquanto o meliante continuava a segui-lo com disparos. “E quando eu senti que ele deu-me um tiro junto ao abdómem então eu revoltei-me e fui contra ele, atirando ele no chão e desarmando a arma”. Foi neste momento que a população aproximou-se em seu socorro, quando já se encontrava “tonto”, no chão e o meliante ficou sob custódia da população, que depois de o agredir ateou fogo, até perder a vida.

Não é a primeira vez que levantou altas somas em dinheiro naquela dependência bancária, por isso desconfia que alguém do balcão tenha dado as informações ao meliante, que estava acompanhado de outro, até agora em fuga, ou que o mesmo terá assitido ao de fora da agência, o momento em que levantou o dinheiro. Para esta acusação, basea-se no facto de que aquando da sua abordagem “ele veio logo e: ´dé-me a pasta´”.

Entretanto disse que sabia do risco que estava a correr, e para minimizar, optou por arremessar a pasta metros adiante, várias vezes, para permitir que o meliante fosse à busca e ele fugisse, mas o facto de ter sido seguido de forma insistente e a seguir atingido a tiro no abdómem, fez com que se “revoltasse contra” o meliante, disse deitado e em enrolado aos lenções azuis de um dos leitos da área de cirurgia do hospital Josina Machel Maria Pia, em Luanda.

Em termos de recuperação, revelou estar a ser bem cuidado pelo corpo clínico, e depois da operação a que foi submetido já se sente “bem melhor”.

O Porta-voz da Policia Nacional em Luanda, o superintendente Nestor Goubel, revelou que “felizmente, agora, com alguma satisfação, conseguimos constatar que está fora de perigo, está a falar, está a atender as pessoas”, apois ter sido operado, um dia depois de tranferido da clínica Multiperfil, para onde inicialmente havia sido transportado por efectivos da Polícia Nacional do Comando municipal de Talatona.

Aquele oficial da Polícia Nacional em Luanda reprova e apela às pessoas a nunca registir a uma tentativa de assalto, tendo mesmo dito que “podíamos não estar aqui para contar a história. Foi um caso, digamos insólito, ele está vivo, está fora de perigo, mas queremos recomendar lá a casa que não é aconselhável, resistir a assaltos a mão armada”.

“Não há dinheiro mais valioso que a própria vida” disse, aconselhando os cidadãos que fazem o levantamento de altas somas em dinheiro nos balcões do banco a pedir o auxílio da Policia Nacional, para evitar situações trágicas.

O cidadão em causa, cuja identidade o Correio da Kianda preferiu salvaguardar, foi vitima de um assalto à mão armada a saída de uma agência bancária. O meliante que o feriu a tiro, foi neutralizado pela população que rapidamente se fez ao local, tendo ateado-o fogo até a morte.

Sobre a justiça por mãos próprias contra o meliante, Nestor Goubel disse que é uma postura reprovável, por se configurar também crime à luz das leis angolanas.

“Nessas situações, devem as pessoas levar o presumivel autor a uma esquadra mais próxima. O que é certo é que é reprovável, ao enveredar para esta prática de justiça por mãos próprias estão a enveredar para uma postura criminosa”, rematou

Continue Reading
2 Comments

2 Comments

  1. BigBrother_Africa

    15/04/2022 at 7:11 pm

    Medonho….
    de uma baixeza abaixo do hinumano..!
    Selvajeria basica, nem os animais selvagens se portam desta maneira…!
    Eduquem, Ensinem, Organizem, adaptem-se à civilização…assimilem, porque senão…vai ser uma desgraça para o futuro da raça..!!!

    Que tipo de gente é essa para se com ela conviver..!

  2. MJ

    18/04/2022 at 3:50 pm

    Informacao de muito valor, e ja agora muito obrigado, grato em saber que o mesmo encontra-se em franca recuprecao. Apenas um ponto negativo, no facto de se mencionar o nome da unidade clinica em que o mesmo encontra-se em recupercao.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.