Connect with us

Diversos

Chuvas deixam rastro de destruição em várias cidades no país

Published

on

Mortes por descargas eléctricas, inundações, ravinas, as chuvas que caem em diversas províncias, desde o final de Novembro, tem deixado um rastro de destruição em várias províncias.

Benguela registou desde Outubro até a data presente cerca de dez mortes e doze ficaram feridas, em consequência das chuvas que se abatem sobre a região.

A informação foi avançada pelo porta-voz do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros em Benguela, inspector bombeiro Jorge David, tendo referido que nove mortes resultam de descargas atmosféricas e uma do desabamento de residência, enquanto chovia.

O inspector bombeiro disse ainda que essas mortes ocorreram nos municípios do Balombo, Ganda, Bocoio e Benguela.

Em relação a danos materiais, revelou que o Serviço de Protecção Civil e Bombeiros registou 38 casas desabadas.

“As chuvas desalojaram ainda 534 famílias e causaram a morte de 21 cabeças de gado bovino por descarga atmosférica”, segundo o inspector bombeiro.

Ravinas ameaçam Bairro Huambo 

Alguns moradores do Bairro Huambo, no Distrito Urbano da Maianga, em Luanda, estão a abandonar as suas casas devido a progressão das ravinas, que já engoliram várias residências.

Os mesmos afirmam que a situação agudizou-se com as chuvas que caem nos últimos dias, e apelam intervenção das autoridades.

Por sua vez, o vice-governador da província de Luanda para os Serviços Técnicos e Infra-Estruturas, Cristino Mário Ndeintunga, reconheceu, recentemente, a existência de zonas críticas e garantiu melhorias nos próximos dias.

Descarga eléctrica vitima casal 

Um casal morreu nesta quarta-feira, 13, no município do Chinguar, província do Bié, vítima de descarga eléctrica, numa altura em que chovia fortemente.

Segundo o chefe do posto de comando do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros local, Vasco Chioca, o casal foi atingido por um raio quando se encontrava a dormir numa cabana, na aldeia de Cassendje, comuna de Cangote. Algumas pessoas atingidas foram acolhidas por vizinhos e parentes próximos.

O Serviço de Protecção Civil e Bombeiros, em parceria com as administrações municipais, tem mobilizado alguns meios e bens de primeira necessidade, para minimizar o sofrimentos dos afectados.

Sumbe sem água potável 

A cidade do Sumbe, na província do Cuanza Sul, está privada do fornecimento de água potável, devido a inundação da ETA, resultante das chuvas que se registam naquela parcela do país.

A informação é do Director local da EPAS, Julião Catraio, que sublinha que resolução do problema pode levar tempo.

Com Márcia Cordeiro e Joaquim Mussungo 

Formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, a profissional actua no mercado de comunicação há 18 anos. Iniciou a sua carreira em 2004, apresentando um programa de rádio e logo migrou para a comunicação digital, para a impressa e, posteriormente, a institucional. Tem vasta experiência como web journalist, criação e gestão de redes sociais, tendo participado dos projectos de desenvolvimento de diversos sites, blogs e redes sociais governamentais, privados e do terceiro sector. Reside em Luanda desde 2012, tendo trabalhado como jornalista no portal de notícias Rede Angola, como assessora de imprensa e directora de Comunicação e Operações nas Agências NC - Núcleo de Comunicação e F.O.T.Y, atendendo diversos clientes governamentais e privados. Actualmente trabalha como editora do portal Correio da Kianda.