Connect with us

Sociedade

Centrais sindicais demarcam-se da marcha do 1º de Maio

Published

on

Termina esta terça-feira, 30, a segunda fase da greve geral iniciada na passada segunda-feira, 22 de Abril.

As três centrais sindicais reafirmam que os trabalhadores não sairão às ruas no dia 1º de Maio dedicado ao trabalhador, em protesto contra a falta de resposta do governo às reivindicações apresentadas pelos sindicatos.

A confirmação foi feita pelo porta-voz das centrais sindicais, Teixeira Cândido, e adianta que serão analisadas possíveis mudanças no posicionamento de greve.

Por sua vez, o Secretário-Geral do Sindicato Nacional dos Professores, Admar Jinguma, disse que o Governo insiste em não ceder às exigências das centrais, situação que pode levar a uma terceira fase da greve.

O líder sindical adianta que as centrais sindicais ponderam paralisar todos os trabalhos, caso o governo insista em violar as leis.

De recordar que as centrais sindicais pedem um salário mínimo de 100 mil kwanzas, actualização salarial da função pública, redução do imposto do rendimento do trabalho e inclusão da representação dos trabalhadores na gestão do Instituto da Previdência Social.