Connect with us

Sociedade

Caso IURD: quatro dirigentes acusados de associação criminosa

Published

on

Quatro dirigentes da ala brasileira da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) em Angola, incluindo o ex-representante máximo, Honorilton da Costa, são acusados dos crimes de branqueamento de capitais e associação criminosa, informou o Serviço de Investigação Criminal (SIC).

Entre os acusados estão ainda o ex-director da Record TV Africa, Fernando Henrique Teixeira, o bispo António Correia da Silva e o pastor Valdir Sousa dos Santos.

Segundo o comunicado do SIC, o processo resulta das denúncias subscritas por mais de 300 membros da IURD, incluindo bispos e pastores, recebidas a 03 de Dezembro de 2019, que deram origem à abertura de um processo-crime, tendo sido agora deduzida acusação contra os quatro arguidos.

O processo foi remetido ao Ministério Público, que “depois da análise e prática de atos processuais subsequentes, remeteu o processo a Juízo”, no dia 05 de Maio.

De recordar que no passado dia 30, a Record TV Africa emitiu um comunicado a informar que o jornalista Simeão Mundula assumiu a direcção executiva da emissora, substituindo assim, o brasileiro Fernando Henrique Teixeira, que deixou o cargo após 10 anos em Angola.

Simeão Mundula assume liderança da Record TV África