Connect with us

Politica

“Cartão de militante fala mais alto do que Bilhete de Identidade” – Manuel Fernandes

Published

on

O líder da CASA-CE considera a actual situação socioeconómica “como difícil”. Manuel Fernandes fez estas afirmações durante o encontro que manteve este sábado, dia 30, com os jovens no município do Sambizanga, província de Luanda.

O político disse que a ocasião serviu para transmitir uma mensagem de coragem aos jovens para poderem corrigir os erros da actual governação: “foi uma conversa pedagógica tendo em conta a nossa experiência de vida”, disse Manuel Fernandes.

“Nós procuramos passar um pensamento positivo. Hoje somos nós os actores políticos, amanhã serão eles, e é preciso preparar essa juventude para que amanhã assumam com responsabilidade os desafios do país, para não caírem no desespero face a actual situação que o país atravessa. Nada cai dos céus, requer trabalho e empenho de todos, e de um sonho ao qual os jovens devem lutar para concretizar”.

Manuel Fernandes entende que as dificuldades que acometem a juventude têm como causa a falta de oportunidades de toda ordem. O político elencou os sectores da educação e emprego, como os principais que adiam os sonhos da juventude.

“Muitos jovens não conseguem entrar numa escola, nem ter emprego, Isso tudo decorre pelo facto do cartão de militante falar mais alto do que o Bilhete de Identidade”, disse Manuel Fernandes, que “esse é o mal maior que fragiliza o desenvolvimento de Angola”.

Manuel Fernandes fez esses pronunciamentos durante o workshop ocorrido sábado, no anfiteatro da ENCIB, no Distrito Urbano do Ngola Kiluange, Município do Sambizanga, em Luanda, organizado pela cooperativa Medical Mais Joia de Angola

Gomes Kizembe, presidente da Cooperativa, disse que os problemas sociais não serão resolvidos pelo Governo, “é responsabilidade de todos angolanos”.

Segundo o líder associativo, o certame juntou mais de cem jovens e correspondeu com as expectativas: “iniciativas do género vão se repetir com vista a discutir os mais variados assuntos do quotidiano”, disse.

Jornalista multimédia com quase 15 anos de carreira, como repórter, locutor e editor, tratando matérias de índole socioeconómico, cultural e político é o único jornalista angolano eleito entre os 100 “Heróis da Informação” do mundo, pela organização Repórteres Sem Fronteira. Licenciado em Direito, na especialidade Jurídico-Forense, foi ainda editor-chefe e Director Geral da Rádio Despertar.