Connect with us

Lifestyle

‘Cangalanga, a doida dos Cahoios” de Mena Abrantes sobe ao palco de Tony Frampenio

Published

on

Sobe ao palco do Elinga Teatro o grupo Enigma, neste sábado, 03 de Setembro, com a peça ‘Cangalanga, a doida dos Cahoios’, para interpretar o texto de José Mena Abrantes adaptado do romance de costumes ‘O Segredo da Morta’ de António Assis Júnior. A Encenação é de Tony Frampenio.

Realizado no âmbito do Circuito Internacional de Teatro, o espectáculo “Cangalanga, doida dos Cahoios” é um trabalho de pesquisa de trabalho final, para a obtenção de grau de Mestre em Ensino das Literaturas da Língua Portuguesa no Instituto Superior de Ciências da Educação (ISCED), enquadrado na linha acadêmica sobre CULTURA, EDUCAÇÃO e COMUNICAÇÃO NOS PROCESSOS ARTÍSTICOS e procura trazer à luz do conhecimento a importância da relação entre a Literatura e o Teatro.

Procura também demonstrar como o teatro, além da sua peculiaridade lúdica, esta forma de fazer arte ganha melhores contornos estéticos e relevância social tendo como base inicial um texto dramático escrito que se constituirá em texto espectacular por via da encenação, com referência à figura de José Mena Abrantes.

O principal objectivo é elaborar, como proposta, para um teatro fundado no texto literário, um guia metodológico tendo em conta o género dramático e a transição do texto dramático ao texto espectacular, contribuindo, deste modo, para o desenvolvimento estético-cultural e filosófico do teatro angolano. E, para tal, propõe que o processo criativo dá-se a partir da adaptação de romances de autores angolanos.

Fundamenta-se pela abordagem teórica dos estudos sociossemiótico com enfoque antropológico, caracterizado por Patrice Pavis em sua obra ‘O Teatro no Cruzamento de Culturas’ (2008) como o método da “ampulheta”, que explica o fenómeno da interculturalidade que ocorre da relação entre a cultura fonte e a cultura alvo: facto colonial nos países africanos.