Connect with us

Sociedade

Candidatos aptos no concurso público da Educação protestam para exigir enquadramento

Published

on

Dezenas de jovens que obtiveram notas positivas no último concurso público do Ministério da Educação, saíram às ruas de algumas províncias do país, a exigir o seu enquadramento directo.

Vestidos de batas e becas, os jovens, nas cidades de Luanda, Benguela e Huíla, manifestaram-se no sábado, 20, a exigir do Governo o seu enquadramento como professores do ensino geral e do primeiro ciclo.

“Com positiva não se reprova”, “queremos enquadramento directo”, são alguns dizeres nos cartazes que traziam os jovens professores.

Os mesmos mostram-se contra a informação segundo a qual o governo pretende realizar ainda este ano um novo concurso público para admissão de novos professores. Luanda, segundo o Governo, precisa de mais 50 mil novos professores para fazer face à actual necessidade.

“Pra quê um novo concurso público se há professores com positivas?”, questionam os candidatos num cartaz exibido em Luanda, durante a marcha pacífica.

Entretanto, um documento do governo provincial de Luanda, ao qual este jornal teve acesso, mostra que a marcha não foi autorizada pelas autoridades da capital, por alegado incumprimento dos pressupostos legais para a realização da marcha.

Ainda assim, os jovens saíram às ruas para exigir os seus deveres. Apesar desta situação, não foi registado qualquer incidente tanto em Luanda como nas outras cidades onde os Jovens se manifestaram.

O Correio da Kianda sabe, através de membros da organização, que esta semana estão a ser observados os requisitos exigidos na lei das manifestações para que no próximo sábado 27 voltem às ruas do país em maior número.

Lembrar que o Ministério da Educação realizou em Novembro o concurso público para admissão de novos professores.

Entretanto, muitos foram os candidatos que obtiveram notas positivas, mas que devido a exiguidade de vagas não foram admitidos.

Colunistas