Connect with us

Mundo

Canal de Suez: perdas diárias estimadas em 15 mil milhões de dólares

Redação

Published

on

Navios retidos no Mediterrâneo desde há quase uma semana começaram a atravessar esta noite o Canal de Suez, depois de resolvido o bloqueio criado pelo encalhe do porta-contentores Ever Given.

Os primeiros navios começaram a circular no canal cerca das 18h locais, anunciou o almirante Osama Rabie, presidente da Autoridade do Canal do Suez, durante uma conferência de imprensa, em Ismailia, durante a noite de segunda-feira.

Este dirigente egípcio acrescentou que o objectivo inicial era fazer passar 113 navios pelo canal entre as 18:00 e as 08:00 locais, nos dois sentidos.

No total, mais de 400 navios carregados com mercadorias, petróleo e gado, estavam bloqueados nas duas extremidades do canal.

Raie previu que a situação fique normalizada dentro de três dias e meio nesta rota, de 190 quilómetros, que liga o Mar Vermelho ao Mediterrâneo.

A seguradora Allianz estimou que as perdas económicas diárias resultantes de um dia de bloqueio do canal se situem entre seis mil milhões e dez mil milhões de dólares.

O valor total dos bens bloqueados ou que tiveram de recorrer a outras rotas difere segundo as estimativas, que se situam entre três mil milhões e nove mil milhões de dólares.

Segundo as autoridades do canal, o Egipto perdeu entre 12 mil milhões e 15 mil milhões de dólares por dia com o fecho do canal, que foi utilizado por cerca de 19 mil navios em 2020.

Por Lusa

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (23)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (86)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (17)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

© 2017 - 2021 Todos os direitos reservados a Correio Kianda. | Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.
Ficha Técnica - Estatuto Editorial RGPD