Connect with us

Economia

Campanha de vacinação prevê imunizar mais de três mil cabeças de gado no sul do país

Published

on

Mais de três mil cabeças de gados serão vacinadas na presente campanha de vacinação que o ministério da Agricultura e pescas leva a cabo em parceria com a FRESAN, até julho próximo, na campanha que teve início a 2 de Maio passado. Neste momento 300 cabeças de gado já foram imunizadas.

Huíla, Cunene e Namibe são as províncias onde está concentrado o maior efectivo, com 1.270 mil, 1.250 mil e 600 mil cabeças de gado respectivamente.

Na região do país, composta pelas três províncias, de acordo com uma comunicação a que o Correio da Kianda teve acesso, a campanha é apoiada pelo Programa FRESAN do Camões I.P., financiado pela União Europeia, através da aquisição de equipamentos para o armazenamento e conservação das vacinas de forma a garantir uma rede de frio que permita salvaguardar as características iniciais para assegurar a imunidade.

Nesse momento, foram vacinadas mais de 300 mil cabeças de gado na região sul. Segundo o Director do Instituto dos Serviços de Veterinária (ISV), Henrique Gimi, que considerou necessária a cooperação com o FRESAN, “tem sido útil de várias maneiras, principalmente na rede de frio: uma componente indispensável na conservação de vacinas. Sem uma rede de frio funcional seria muito difícil levar as vacinas pelos municípios”.

O objectivo da campanha é de imunizar o efectivo animal, prevenir a disseminação de doenças e minimizar prejuízos económicos e nutricionais, essa campanha de vacinação massiva permite ter um melhor domínio no que toca a saúde bovina.

“Embora os criadores de gado tradicional usem o sistema expansivo e o sector empresarial o intensivo, os serviços veterinários garantem sanidade animal para todos os criadores de gado. Como sabemos, o gado percorre grandes distâncias e quase não há delimitação nas zonas de pastagem, o que implica que o gado acaba por se misturar. A vacinação massiva serve para imunizar todo o gado e garantir a irradicação de factores que servem de intermediários na transmissão de doenças”, garantiu Henrique Gimi.




As vacinas aplicadas são direccionadas fundamentalmente para a pleuropneumonia contagiosa, carbúnculo hemático, carbúnculo sintomático e dermatite nodular, que têm sido a causa de morte de um número considerável do gado nacional.

Além da campanha de vacinação bovina, está a ser efectuada a recolha de amostras para um estudo veterinário que determinará a distribuição específica das enfermidades para cada região. Com os resultados desse estudo será produzido um mapa de controlo sanitário, onde constarão considerações e recomendações oficiais para as vacinas necessárias e para o tratamento das doenças por cada região.

A Campanha Nacional de Vacinação Bovina é uma actividade que o Ministério da Agricultura realiza por intermédio do Instituto dos Serviços de Veterinária, em parceria com os Governos Provinciais que delegam as Administrações Municipais. No quadro de transferências de competências estas têm grande responsabilidade durante a implementação da campanha, pois, é onde se encontra o gado.

O lançamento oficial da campanha de vacinação teve início a 2 de maio, no município de Caluquembe, província da Huíla.

I am text block. Click edit button to change this text. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.

I am text block. Click edit button to change this text. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.