Connect with us

Politica

Calumbo ganha categoria de município

Published

on

O município de Viana, em Luanda, vai ser subdividido para fazer nascer outros três, nomeadamente da Estalagem, Vila Flor e de Calumbo, este último, agregando o distrito do Zango.

O ministro da Administração do Território, Dionísio da Fonseca, explicou que, com a nova divisão, os distritos urbanos do Zango, vão ser agregados ao município de Calumbo.

“É um problema de compreensão. Portanto, o território que hoje comporta o distrito Urbano do Zango fará parte do futuro município do Calumbo. Dá auscultação feita pelo governo da província de Luanda optou-se pelo topónimo Calumbo, por ser mais representativo, tem muito mais história do que o topónimo Zango”, explicou.

O ministro explicou que a escolha de Calumbo, ao contrário de Zango, para o topónimo municipal deve-se a razões históricas, visto que Zango é uma zona muito recente.

De acordo com o ministro, alguns dos actuais distritos serão desmembrados e integrados a outros, como é o caso do Bela, para dar lugar ao município do Kilamba.

Uma das razões para estas mexidas, avançou o governante, é a densidade populacional que estas circunscrições possuem.

Dionísio da Fonseca explicou ainda que algumas localidades de Luanda vão voltar à categoria de município, nomeadamente, Rangel, Maianga, Sambizanga, Ingombota, Kilamba Kiaxi, entre outros, totalizando 23 municípios.

No geral, de acordo com o ministro, 162 novos municípios fazem parte da lista do país, acordo com a proposta da nova divisão político-administrativa.

O documento vai ser remetido à Assembleia Nacional para aprovação final, nos próximos dias.

A nova proposta de Divisão Politico Administrativa prevê elevar a categoria de municípios, 162 distritos e comunas no país e juntar-se aos actuais 164 municípios do país.

Para o caso de Luanda, o Ministro Dionísio da Fonseca, dá conta da criação de novos municípios como do Kilamba, da Estalagem e de Calumbo, este último que vai agregar os actuais Distritos Urbanos do Zango.

Lembrar que de acordo com o Ministro da Administração do Território Dionísio da Fonseca a proposta prevê a divisão das actuais províncias do Moxico e Cuando-Cubango, em duas e elevar para 20, o número de territórios provinciais do país.

Uíge, Malanje e Lunda Norte vão ter o maior número de municípios, evitando desta forma, a sua divisão.

Continue Reading
19 Comments

19 Comments

  1. Flavio

    02/01/2024 at 2:10 pm

    De onde sairiam os valores pra sustentar tamanho aparelaje burocrâtico ainda em meio desta crise.

    • André Lohse

      02/01/2024 at 7:43 pm

      Existe o fundo dos capitais repatriados e malas cheias de dinheiro em posse do Major milionario e de outros servidores do estado.

  2. Bernardo Helongonjo

    02/01/2024 at 7:08 pm

    Quando o governo é incompetente, tenta sempre fazer emendas absurdas.

    • Paul

      03/01/2024 at 8:33 pm

      Bem visto

  3. Edson Leonel

    03/01/2024 at 12:44 am

    Com tanta coisa mais importantes e de carácter mais urgente por se resolver no país, só viram mesmo isso, cuja execução tem implicações financeiras elevadas.

  4. Feliciano Miguel

    03/01/2024 at 6:38 am

    Sim ,é de louvar a iniciativa seja bem vindo a elevação destes para município ja se faz tarde os ministro estão a dormir muito ia!…

  5. Jorge Caiombo

    03/01/2024 at 6:57 am

    Isso não condiz com a verdade, Zango fará parte do município do Calumbo

  6. Reverendo Euleneriano

    03/01/2024 at 9:34 am

    Epah… É difícil acreditar que sou mestre mas não sei quantos nem quais são os municípios de Luanda!!!
    É tanta mexida desacertada, que nunca resultam em melhoria da condição de vida do munícipe, por outro lado, haverá sustentabilidade para tantos municípios assim?

  7. Mateus Baptista Abraão

    03/01/2024 at 11:42 am

    Parece-me a mim que esse governo preocupa-se muito com coisas minúsculas… Tenho 37 anos de idade e, durante esse tempo, nunca li/vi em noticiário algum que um governo se preocupa muito as divisões administrativas.

    Por que razão não falam mais sobre Autarquias Locais ou Eleições Autárquicas?

    Enfim, a incompetência é com eles…😞😔🤦‍♂️

  8. Julio Sousa-E-Silva

    03/01/2024 at 1:18 pm

    Bem precisava. Tem imensos problemas.
    Zangos 1…5 Ruas asfaltadas cheias de areia no tempo seco. Agora inundadas e esburacadas…
    Ruas sem asfalto…
    O ordenamento está a ser desrespeitado..
    Tudo a deteriora-se..
    Zango Zero idem…Sem pedonal no cruzamento da estrada de Viana / Via expressa. Um causa para peões e autos…
    Jss

    • Mutombo Francisco

      03/01/2024 at 2:29 pm

      Essa noticia difere com a informação prestada pelo Ministro. Quem está enganado?

  9. Adalberto da Costa Júnior

    03/01/2024 at 4:20 pm

    Epáh essas subdivisões são bem vindas mas oque se pede, é mesmo o trabalho, as administrações municipais e comunais não trabalham. Esquece que a vida faz-se nos Municípios peço ao Ministro e aos Governador para possam exigirem mais as administrações sobre tudo as de Luanda.

  10. Kamuambi

    03/01/2024 at 7:34 pm

    Título errado: Calumbo ganha estatuto de Município e não Zango. Zango vai continuar como Distrito. Informamos com transparência.

    • Fabiana André

      03/01/2024 at 11:48 pm

      Boa noite, prezado.

      Inicialmente queremos agradecer a leitura do nosso jornal. Pedimos as mais sinceras desculpas e informamos que o erro já foi corrigido.

      Gratos e Feliz 2024!

  11. Pedro Zau

    03/01/2024 at 9:58 pm

    Mais então se o plano foi emagrecer o estado, fundindo ministérios e tornando ministros em secretários de estado, Qual é a necessidade e vontade de aumentar os gastos com mais 162 municípios? 162 Administradores? Os contribuintes vão continuar a sustentar mais o aparelho do estado sem benefícios de coisas básicas como saúde,energia, asfalto e até sítios sadios de lazer?

  12. António Quimuanga

    04/01/2024 at 1:07 pm

    Quando agente, cria um plano sem projecto é quase nada uma vez que estás divisões geográfica foi implementada, não se sabe como estas províncias e municípios vão se auto-sustentar.
    Dependendo do rendimento das outras províncias e outros municípios?

  13. João Heitor

    04/01/2024 at 1:33 pm

    Quando mais municípios tivermos, mais serviços próximos à população teremos. Mais empregos, mais desenvolvimento… Encurta a distância dos atendimentos. Água para todos municípios abrange mais pessoas. Sabiam que a Ucrânia, quase a metade de Angola (superfície), tem 24 oblasts, com 490 municípios?

    • Luis

      05/01/2024 at 7:16 am

      Isso é um absurdo, para já a viana
      Que vai ser subdividido as receitas para sustentabilidades deste municipio de calumbo,virá de que ceu?

  14. Manuel António Avontade

    04/01/2024 at 5:35 pm

    Qual é a finalidade desta confusão toda?
    .
    Aonde vai sair o dinheiro para pagar os nossos funcionários do estados que neles vão desempenhar funções?
    .
    Como será a rede de distribuição de energia e água , se só com os 164 já está sendo uma missão impossível

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *