Connect with us

Economia

BNA prevê taxa de inflação de 19% para 2024

Published

on

O governador do Banco Nacional de Angola, Manuel Tiago Dias, disse esta sexta-feira, 19, em Luanda, que para este ano, a economia vai registar uma taxa de inflação de 19%.

O governante falava na tarde de ontem, em Conferência de Imprensa de apresentação das conclusões saídas da reunião do Comité de Política Monetária do banco central angolano.

Manuel Tiago Dias disse que aquele órgão de governança do BNA decidiu fazer aumento do coeficiente de reservas obrigatórias em kwanzas.

A inflação em Angola poderá atingir os 19% este ano, tendo em conta a contínua desaceleração dos termos de troca, a insuficiência da oferta de bens e serviços no curto prazo e vulnerabilidade da cadeia de abastecimento interna, adicionada à persistência de constrangimentos na cadeia de logística internacional, prevê o Banco Nacional de Angola (BNA).

O Produto Interno Bruto (PIB), segundo o governador, vai registar um crescimento de 0,7% em 2023. Esse crescimento é impulsionado pelo sector não-petrolífero, que terá crescido 2,1%.
Para 2024, as projecções apontam para uma ascensão do PIB de 2,2%, como resultado dos impactos esperados dos diferentes programas do Governo de estímulo ao sector produtivo não-petrolífero.

“Nesta perspectiva, o sector não petrolífero poderá crescer cerca de 4,2% em 2024. Em sentido contrário, a informação disponível aponta para uma redução da produção do sector petrolífero”, disse.

Segundo o governador Manuel Tiago Dias, o Banco Nacional de Angola decidiu manter a taxa básica de juro nos 18%, a taxa de facilidade permanente de cedência de liquidez nos 18,5%, a taxa de juro de facilidade permanente de absorção de liquidez em 17,5% e aumentar o coeficiente das reservas obrigatórias em moeda nacional para 20%.

Explicou que o aumento dessa taxa visa adequar o nível de liquidez da actividade económica e mitigar as pressões inflacionistas.