Conecte-se agora

Economia

BNA retira licença a banco BANC

O Banco Nacional de Angola revogou hoje a licença do Banco Angolano de Negócios e Comércio por “graves problemas técnicos” que colocaram a instituição em “falência técnica”.

Redação

Publicados

on

bna retira licença a banco banc - Banco de Neg  cios e Com  rcio BANC - BNA retira licença a banco BANC

A medida resulta do aviso nº /2018 que considera “contravenção punível” o incumprimento do aumento do capital social mínimo e fundos próprios em 7,5 mil milhões Kz.

No passado dia 26 de Junho de 2018, o Conselho de Administração do Banco Nacional de Angola deliberou proceder a uma intervenção no Banco Angolano de Negócios e Comércio, S.A. (BANC), após ter verificado uma degradação significativa dos indicadores financeiros e a incapacidade do BANC de fazer face às suas responsabilidades no sistema de pagamentos nacional.

A intervenção do Banco Nacional de Angola confirmou a existência de um modelo de governação inadequado face aos riscos incorridos e graves deficiências financeiras, resultando na falência técnica do BANC.

Pese embora o esforço de saneamento empregue pelos administradores provisórios nomeados pelo Banco Nacional de Angola, a situação manteve-se praticamente inalterada. No final de 2018, o capital social realizado era de 4.346 milhões Kz e os fundos próprios regulamentares eram negativos em 19.639 milhões Kz, exigindo um aumento de capitais não inferior a 24 mil milhões Kz. Se considerada a normalização da situação de liquidez do banco, o reforço de capitais estaria na ordem de 41 mil milhões Kz.

Perante a incapacidade de mobilização de capital adicional pelos accionistas do BANC necessário e indispensável para o cumprimento dos requisitos legais mínimos vigentes, o Banco Nacional de Angola, ao abrigo das disposições combinadas dos artigos 21º da Lei do Banco Nacional de Angola e nº 1 do artigo 30º, da Lei de Bases das Instituições Financeiras, em reunião extraordinária, realizada no dia 29 de Janeiro de 2019, deliberou revogar a autorização para o exercício de actividade bancária, para o qual o Banco Angolano de Negócios e Comércio, S.A. estava licenciado, pelo que a referida instituição bancária cessa a sua actividade a partir do dia 6 de Fevereiro.

Assim, na sequência da referida deliberação e, de acordo com os procedimentos legalmente definidos, foi igualmente solicitado à S. Excelência o Procurador Geral da República para que requeresse a declaração de falência da referida instituição, junto do Tribunal Provincial de Luanda, bem como conferisse os poderes necessários para o pagamento dos depósitos aos clientes da ora referida instituição.

Tão logo tal expediente legal seja concluído, o Banco Nacional de Angola dará indicação aos depositantes habilitados sobre os procedimentos a adoptar para a mobilização dos seus recursos.

Os trabalhadores do BANC devem manter-se à disposição dos administradores provisórios até indicação do fiel depositário pelo Tribunal Provincial de Luanda.

 

Jornal Mercado

Publicidade

Colunistas

Ana Margoso
Ana Margoso (14)

Jornalista

António Sacuvaia
António Sacuvaia (220)

Editor

Diavita Alexandre Jorge
Diavita Alexandre Jorge (12)

Politologo

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (12)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (12)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (57)

Jornalista

Victor Hugo Mendes
Victor Hugo Mendes (9)

Jornalista e Escritor

Walter Ferreira
Walter Ferreira (4)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

Publicação

© 2016 - 2018 Todos os direitos reservados a Correio Kianda. | Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.
Ficha Técnica - Estatuto Editorial RGPD