Connect with us

Sociedade

Bié: mais de 200 profissionais da saúde foram demitidos

Published

on

Entre os trabalhadores dispensados estão administrativos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, técnicos de laboratório, catalogadores, motoristas, seguranças e auxiliares de limpezas.

As demissões de funcionários da saúde estão a ocorrer no Hospital Municipal do Andulo, na província do Bié. Segundo a denúncia, começaram no dia 31 de Dezembro do ano passado, e até agora, 232 profissionais já foram despedidos sem aviso prévio, após até nove anos de trabalho, acabando assim com a esperança de um dia serem inseridos como quadros efectivos do Ministério da Saúde.

Uma técnica em enfermagem, que não quis ser identificada, diz que trabalhou na unidade hospitalar por quase oito anos e foi uma das demitidas. Afirmou ainda que a direcção do hospital tem dívida de três meses de salário e que não receberam dinheiro da rescisão do contrato.

Uma outra ex-trabalhadora auxiliar de limpeza disse que, neste momento, o sentimento é de revolta.

“Sete anos me dedicando a isso para sair assim, sem nada e sem explicação”, disse e acrescenta que “com a nossa idade de 38, 40 e 45 anos, onde que iremos conseguir mais emprego?”, lamentou.

Já um outro cidadão também despedido disse que foram contratados para o Hospital Municipal do Andulo, com o objectivo de um dia serem inseridos, caso haja um concurso público.

Segundo ele, trabalham nesta unidade desde 2012 e foram informados, na noite do dia 31 de Dezembro de 2020, por orientação da direcção do hospital, que estariam dispensados e que o hospital irá receber novos técnicos, apurados no último concurso público da saúde.

Até o desfecho desta matéria, o nosso jornal tentou contactar a Direcção Municipal de Saúde  do Andulo, mas sem sucesso. O hospital público atende cerca de 200 pacientes por dia em diversas especialidades.