Connect with us

Economia

BFA regista lucro de 90 mil milhões de kwanzas em 2020

Published

on

O Banco Fomento Angola (BFA) obteve no ano passado lucros na ordem dos 90 mil milhões de kwanzas, das suas actividades operacionais, de um crescimento robusto e sustentável da actividade daquela instituição financeira.

Apesar dos efeitos negativos causados às economias durante o ano de 2020, pela pandemia da Covid-19, o BFA registou um crescimento robusto e sustentável da sua actividade, bem como do seu número de clientes, os quais cresceram 6,2% para 2.196 080.

De acordo com o comunicado enviado esta segunda-feira ao Correio da Kianda, em 2020 os activos totais do BFA cresceram 31% para 2.874 899,7 milhões de kwanzas, o que reflectiu o crescimento da actividade. O Produto Bancário aumentou 30,7% para 274.224,3 milhões de Kwanzas e os Recursos de Clientes também aumentaram 38,8% para 2.252.202,7 milhões de kwanzas.

“Considerando esta forte prestação operacional e financeira, e a crise económica mundial e o seu forte impacto em Angola, o BFA obteve um resultado líquido de 89 848,6 milhões de Kwanzas em 2020, o que representa uma redução homóloga de 25,1% face a 2019”, refere o comunicado, onde ainda se pode ler que a referida redução é motivada pelo registo de 70 milhões de USD em imparidades com activos de Títulos e Crédito, na sequência da revisão em baixa do rating da dívida soberana de Angola.

Os Fundos Próprios Regulamentares do BFA também acentuaram a sua tendência de crescimento com um aumento de 11,3% para 461.774 milhões de kwanzas, consolidando a sua posição e segurança no suporte financeiro às necessidades dos seus Clientes e permitir ao Banco a realização dos investimentos necessários para manter a sua liderança no mercado.

No capítulo da captação de recursos os dados revelam um crescimento no volume de depósitos face a 2019. Este dado, é considerado pelo banco como uma demonstração que o mercado tem sobre o Banco, que atingiu 2.252.202,7 milhões de kwanzas, mais 38,8% do que em 2019.

O Rácio de Transformação apresentou uma redução face ao 2019, situando-se nos 17,2%. Esta descida é explicada pelo maior crescimento relativo nos depósitos face ao crédito bruto concedido à Clientes que, que também aumentou de 359.170 milhões de kwanzas em 2019 para 387.818 milhões de Kwanzas no final de 2020, ou seja, mais 8% face a 2019.

Em termos de investimentos, aquela instituição financeira disponibilizou em 2020, diversas soluções que tem permitido estar mais próximo dos seus Clientes, quer nos balcões, remotamente ou através dos meios de pagamento automáticos. Desta forma, a taxa de penetração de Cartões de Débito BFA aumentou para 57,3% e o número de TPA´s activos aumentou cerca de 7,5%. O número de ATM’s activos sofreu uma ligeira redução de 1,8%. A taxa de penetração do BFA Net diminuiu 9%.

Ainda em 2020 BFA manteve os seus 197 balcões compostos por Agências, Centros de Empresas, Centros de Investimento, Private Banking e Postos de Atendimento em todo o território nacional, com um total 2.775 colaboradores, 51 dos quais recrutados ano passado.

Com vista a melhor capacitar os seus funcionários, realizou acções de formação na sua academia, onde participaram 2.724 colaboradores.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Daniel Sapateiro
Daniel Sapateiro (13)

Economista e Docente Universitário

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (25)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (88)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (21)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

© 2017 - 2021 Todos os direitos reservados a Correio Kianda. | Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.
Ficha Técnica - Estatuto Editorial RGPD