Connect with us

Economia

DE BEERS “condiciona” o regresso a exploração de diamentes em Angola

Published

on

O executivo angolano, está a negociar o regresso ao mercado nacional, do gigante do sector diamantífero sul-africano DE BEERS, que deixou de explorar em Angola por falta de concessões para a exploração da ‘pedra preciosa’, emitidas pela ENDIAMA.

Na conferência Investing in African Mining Indaba realizada em Cape Town de 5 a 8 de fevereiro, uma das primeiras reuniões realizada pela delegação angolana, foi com a empresa sul-africana de diamantes DE BEERS, que deixou de operar em Angola desde 2012, mas, que mantem o seu escritorio aberto com apenas 15 colaboradores, dos 280 com que contava em 2012.

Um dos objectivos da reunião, foi a de negociar com o gigante sul-africana de diamantes, o reinicio de exploração de diamante em Angola. No entanto, desta vez, Bruce Cleaver e Charles Skinner, CEO e Diretor de Exploração da “De Beers”  respectivamente, querem ter certeza do potencial dos campos que o Estado angolano irá conceder a DE BEERS, porque os campos mais rentáveis, até agora têm sido mantidos por empresas controladas por Isabel dos Santos, e generais próximos do poder.

A DE BEERS encontra-se actualmente a explorar minas no Botswana, Canadá, Namíbia e África do Sul, controlando 44% da produção mundial de diamantes. Com a Alrosa, faz parte das duas únicas multinacionais a operar em Angola. As recentes mudanças feitas no sector mineiro pelo presidente da República João Lourenço, nomeadamente na nomeção do novo conselho de Administração da ENDIAMA e no combate aos monopolios, podem resultar na captação de capital estrangeiro que o país precissa neste momento.