Connect with us

Economia

BDA e Norsad Capital assinam acordo para financiar empresas angolanas

Published

on

O Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) assinou ontem, 29 de Junho, em Luanda, um Memorando de Entendimento, com a Norsad Capital, através do qual se prevé o aumento dos fluxos de negócios no país.

O Administrador Executivo do BDA, Arsénio Satyohamba, frisou que o acordo “vai contribuir para que mais empresas angolanas sejam financiadas, sendo mais um passo para o cumprimento do compromisso inabalável de promover o crescimento e transformar o cenário económico de Angola”.

Na qualidade de signatário do memorando pelo BDA, o Administrador referiu que o BDA efectuou, em 2022, desembolsos de crédito no valor total de 113,6 mil milhões de Kwanzas, o dobro dos projectos desembolsados no ano de 2021. Do valor total financiado, destacam-se os programas de financiamento do Banco com 59.909 milhões de Kwanzas, correspondente a 53%, seguido pelo PAC Reestruturado com 47.422 milhões de Kwanzas, que corresponde a 42% do desembolso total.

O âmbito do acordo prevê financiamentos nos domínios da cadeia de valor alimentar, infra-estrutura social e ao sector financeiro.

Enquanto instituição financeira pública, o BDA tem como principal aposta a promoção do crescimento económico contínuo através do desenvolvimento sustentável do País, o que inclui o aumento da competitividade do País no cenário mundial. As suas iniciativas promovem o bem-estar da população angolana através da concessão de créditos à economia, potenciando o sector empresarial, a criação de empregos e aumento das oportunidades de subsistência sustentáveis.

Nos termos do acordo, as duas Partes partilharão contactos para potenciais negócios; ajudar uma a outra na efectivação de possíveis oportunidades de negócios. Um elemento particularmente importante desta cooperação é que as Partes prometem apoiar-se mutuamente na tarefa de promover ainda mais o papel do sector privado no crescimento da economia.

De acordo com o CEO da Norsad Capital, Kenny Nwosu, o acordo prevê essencialmente a partilha de possíveis transações que contribuam para a maximização dos fluxos de negócios.

“Cada uma das nossas instituições tem a sua própria experiência e modelos de financiamento”, disse, acrescentado que “ambas instituições financeiras se concentram em fornecer o capital necessário para as empresas, que pode ser usado para promover o crescimento económico e melhorar a vida da população de Angola e do continente africano, no geral”.

Referiu ainda que o facto de o Governo de Angola estar empenhado em diversificar a economia e tornar-se menos dependente da produção de petróleo, constitui um conjunto de oportunidades para os financiadores contribuírem, pelo que o “sector das PME’s pode dar um contributo importante para a diversificação da economia”.

“Além dos vários benefícios, será útil para nós ter um parceiro no terreno em Angola que tenha conhecimento local e possa nos fornecer informações, por exemplo, sobre uma empresa localizada no País com a qual consideramos fazer negócios”, disse.

Identificando-se como um investidor de impacto com particular enfoque nos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas, a Norsad Capital pretende ser um investidor de impacto temático que selecciona investimentos que contribuam claramente para a resolução de desafios sociais e ambientais. Este objectivo alinha-se com a visão do BDA em contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos angolanos. Muitos dos sectores importantes para a Norsad Capital são igualmente significativos para o BDA, como contribuir para o crescimento da agricultura, pecuária, indústria e outros sectores produtivos, incluindo a expansão do sector das energias renováveis por meio de iniciativas solares e hidro-eléctricas, melhorando a logística e infraestruturas de transportes, e a necessidade premente de inclusão financeira.