Connect with us

Economia

Bancos financiam projectos com cinco mil milhões de kwanzas

Published

on

O Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI) registou, na semana de 6 a 11, um desembolso no valor de cinco mil milhões de kwanzas para 123 projectos aprovados, que aguardavam por financiamento na banca.

Os dados foram divulgados, terça-feira, em Luanda, no habitual “briefing” semanal do Ministério da Economia e Planeamento (MEP), no domínio da Economia, pela directora nacional para a Economia, Competitividade e Inovação.

Joffrana Xavier realçou que por via do Serviço de Apoio ao Crédito Estruturado (PAC), com o Decreto Presidencial 94/22 de Abril, até à presente data, foram admitidos 647 projectos com um valor de financiamento estimado em cerca de 25 mil milhões de kwanzas, dos quais 123 já beneficiaram de desembolso efectivo, conforme os valores acima indicados.

Estes projectos com montantes já desembolsados estão distribuídos pelas diferentes províncias, sendo que Luanda lidera com um total de 56 projectos desembolsados, seguida do Bengo com 13, Benguela com 10, Huíla com nove, Namibe com sete, Bié com cinco, Cunene, Cuanza-Sul e Huambo com quatro cada, Ma-lanje com três, e o Uíge e Cuanza-Norte com dois projectos, respectivamente.

As províncias que menor beneficiaram de desembolsos, até ao momento, são Cabinda, Lunda-Sul, Moxico e Cuando Cubango com apenas um projecto aprovado cada.

Por outro lado, quanto aos sectores de actividade com maior predominância nos desembolsos, Joffrana Xavier destacou que, nos 123 projectos, os Operadores de Comércio e Distribuição (OCD) lideram com 37 projectos, seguidos da Agricultura com 35 e Pescas com 14. Surgem ainda os sectores da Indústria Transformadora e Pecuária com 12, Resíduos Sólidos com oito e Turismo com cinco projectos desembolsados.

No global, no que toca aos investimentos públicos de apoio ao PRODESI, desde a sua operacionalização, foram já aprovados e financiados 1.715  projectos. Os programas em causa foram suportados por via do Alívio Económico com um total de 528 projectos aprovados, por via do Aviso 10/22 do Banco Nacional de Angola (BNA) com 377 projectos aprovados, pelo Programa de Apoio ao Crédito Reestruturado (PAC) com 647 projectos e Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Agrário (FADA) com 142 projectos aprovados.

Mercado Interno

No domínio  do acesso ao Mercado Interno, o sector registou a celebração de 669 Contratos de Compra Futura, que ultrapassa os mil milhões de kwanzas. Estes contratos são resultantes das actividades económicas realizadas pelas 18 províncias do país e de vários instrumentos financeiros aprovados no âmbito do PRODESI, nomeadamente no domínio do PAC, por via de realização de Feiras da Produção Nacional, entre outros.

Os contratos em causa foram celebrados nas diversas províncias do país, com destaque para o Uíge com um registo de 118 contratos, seguido do Cuanza-Sul com 89, Cuando Cubango com 73, Bié com 61, Luanda com 58, Benguela com 48, Malanje com 38, Lunda-Norte com 33, Lunda-Sul com 31, Bengo com 21, Cabinda com 18, Cunene com 17, Huambo com 15, Cuanza-Norte com 12, Moxico com 10 e Zaire com quatro contratos, respectivamente.

A directora nacional para a Economia, Competitividade e Inovação, Joffrana Xavier, realçou que as províncias que registaram menor número de Contratos de Compra Futura foram a Huíla e Namibe, ambas com apenas dois contratos.

No domínio das feiras, comparativamente à semana anterior, realizaram-se mais quatro trocas de produção de bens e serviços nacionais, das quais duas realizadas na província da Huíla; uma no município da Jamba com a Feira da Mandioca, e no município do Chipindo com a Feira do Escoamento das Oportunidades.

As outras feiras decorreram na província do Uíge, município sede com a realização da “Expo Uíge”, e uma realizada na província do Zaire, município de Mbanza Kongo.