Connect with us

Sociedade

Bancos entre as instituições que mais vazam dados dos utentes em Angola

Published

on

As empresas e organismos que violam a Lei de Protecção de Dados e divulgam informações pessoais dos utentes passarão a ser multadas pela Agência de Protecção de Dados, sendo os bancos comerciais os que mais vazam informações confidenciais dos seus utentes no país.

O Director do Gabinete Jurídico da Agência de Protecção de Dados, Júlio António, disse que existem, neste momento, onze casos de empresas que divulgaram dados pessoais de utentes e que nos próximos dias vão ser multadas.

O responsável garantiu, por outro lado, que duas instituições já foram multadas por este atropelo à lei, sendo um banco comercial e uma empresa do sector das telecomunicações. O responsável fez essas declarações durante uma palestra realizada nesta sexta-feira, 26, em Luanda, sobre protecção de dados pessoais em Angola.

Uma realidade, que segundo o economista Carlos Rosado de Carvalho, fragiliza a economia do país:

“Se nós não confiamos nos bancos, relativamente à capacidade dos bancos de protegerem os nossos dados, isso é óbvio que afasta as pessoas da banca. E se afasta as pessoas da banca, diminui a inclusão financeira e o sistema financeiro é fundamental para uma economia. Sem sistema bancário não há crédito e sem crédito não há economia”, disse, o também docente universitário.

Por sua vez, o ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Mário Augusto de Oliveira, que procedeu a abertura do seminário de capacitação, destinado às empresas públicas e privadas, disse que Angola possui vários desafios para desincentivar o vazamento de dados pessoas.

Segundo o governante, as medidas passam por adequar às leis e regulamentos ao contexto actual, bem como fazer investimentos na cibersegurança, que é necessário para um ambiente mais seguro à todos.

Colunistas