Connect with us

Sociedade

Bafómetro volta às estradas nos próximos dias

Published

on

O bafómetro, instrumento usado para testar a quantidade de álcool no sangue dos automobilistas, volta a ser introduzido, nos próximos dias, pela Polícia Nacional, nas estradas de todo o país, anunciou, ontem, o ministro do Interior, Eugénio Laborinho, durante a marcha em memória das vítimas de acidentes de trânsito. O governante acrescentou que a medida visa desencorajar a condução sob o efeito de bebidas alcoólicas e drogas, de modo a baixar o índice de sinistralidade rodoviária no país. De Janeiro a Setembro morreram, nas estradas nacionais, 1.865 pessoas, uma redução de 21 mortes em relação a igual período de 2018.

Eugénio Laborinho, que prestou a informação após a marcha realizada, em Luanda, em memória às vítimas de acidentes rodoviários, disse que a medida visa desencorajar a condução sob efeito de bebidas alcoólicas e drogas, bem como baixar o índice de sinistralidade no país.

O ministro do Interior referiu que no Código Penal, já aprovado pela Assembleia Nacional, esperando-se apenas a entrada em vigor, consta a responsabilização criminal dos automobilistas encontrados a conduzir com uma percentagem de álcool superior a 1.2 gramas por litro de sangue.

“Vamos preservar a vida humana, pois só temos uma e todas as acções devem ser desenvolvidas para a sua preservação, por mais que haja críticas, porque, no final, saímos todos a ganhar”, disse Eugénio Laborinho.

O ministro alertou que a segurança rodoviária deve ser uma preocupação de todos e merecer a devida atenção para que se possa reduzir os efeitos negativos que causa no sector social e económico, tendo considerado os acidentes de viação “um problema de saúde pública”.
Segundo o ministro do Interior, a Organização Mundial da Saúde (OMS), considera os acidentes de viação “problema de saúde pública”, por serem responsáveis pela morte de milhares de pessoas no mundo, incapacidade física e psicológica entre os jovens e adolescentes dos 12 aos 24 anos.

De Janeiro a Setembro deste ano, foram registados, no país, 7.839 acidentes de viação, (menos 226), que resultaram em 1.865 mortos (menos 21) e 862 feridos (menos 124), comparativamente a igual período do ano passado.

De acordo com o ministro do Interior, Luanda, com 18 por cento dos casos, é a província que mais sinistralidade rodoviária registou, com uma cifra de 1.448 acidentes (menos 155), 457 mortos (menos 28) e 1.275 feridos (menos 309), seguida da Huíla e Huambo.

“O ano ainda não terminou, mas os números são assustadores, sobretudo nesta fase em que se avizinha a quadra festiva, período em que se registam mais casos de excesso de velocidade, como consequência do consumo de bebidas alcoólicas, associadas à não observância das normas do Código de Estrada”, disse Eugénio Laborinho. Sensibilizar os automobilistas e peões, bem como a fiscalização de viaturas que não estão em bom estado técnico para a circulação são algumas medidas de segurança a adoptar pela corporação nos próximos tempos.

 

JA