Connect with us

Economia

Aviação angolana discutida em Conferência Internacional no Dubai

Published

on

A República de Angola participa de 20 a 24 de Novembro do corrente ano, na terceira Conferência sobre Aviação, no Dubai, Emirados Árabes Unidos.

A Conferência tem como objectivo avaliar o desenvolvimento e a implantação do Combustível de Aviação Sustentável (SAF), Combustível de Aviação com Baixo Carbono (LCAF) e outras fontes de energia mais limpas para a aviação estão a ser avaliados na terceira conferência da Organização Internacional da Aviação Civil, que decorre até sexta-feira em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

A conferência, sobre a Aviação e Combustíveis Alternativos (CAAF/3) faz parte do processo de inventário da OACI e pretende rever a Visão 2050 da OACI para o SAF, incluindo a LCAF e outras fontes de energia mais limpas para a aviação, a fim de definir um quadro global da OACI, alinhado com o lema ‘’Nenhum país fica para trás’’.

O CAAF/3 reúne funcionários de alto nível dos Estados Membros, como Ministros, Presidentes e Directores Gerais das Autoridades da Aviação Civil, Organizações Regionais e observadores.

O primeiro dia da Confêrencia teve como propósito acomodar as declarações ministeriais e de alto nível dos Estados, e as considerações pertinentes referentes à agenda de trabalho.

A declaração da República de Angola foi proferida pela Presidente do Conselho de Administração da ANAC, Amélia Domingues Kuvíngua, na qual reiterou o compromisso de Angola, relativamente ao cumprimento das recomendações da OACI, sobre a implementação do SAF e CORSIA, que garantiu que permitir a expansão do mercado do Sector de Aviação Civil.

“Esta perspectiva, alinha-se à política do Executivo angolano, gizada com a reestruturação do seu quadro legal, conformando-o aos padrões recomendados, investindo em tecnologias mais modernas, para tornar as operações mais eficientes com a Sobre a ANAC”, disse.

Lembrou que a Autoridade da Aviação Civil, criada pela Lei n.º 14/19, de 23 de Maio, Lei da Aviação Civil e implementada pela Lei n.º 28/21, de 25 de Outubro, exerce funções de regulação, supervisão, orientação, controlo, regulamentação, fiscalização, inspecção, certificação, homologação, licenciamento, autorização, auditoria e aplicação de sanções no sector da aviação civil, sem prejuízo de outras que lhe sejam especialmente acometidas por lei.

Amélia Domingues Kuvíngua destacou como as mais recentes acções do governo angolano no sector da aviação, a aquisição de novas aeronaves, inauguração do Novo Aeroporto Internacional de Luanda Dr. António Agostinho Neto, equipado com tecnologia de ponta.

Sobre esta infra-estrutura aquela responsável disse que Angola almeja obter certificação verde, pars dar seguimento ao plano de negócios para o mercado interno e externo.

A Delegação Angolana ao evento é chefiada pela pela Presidente do Conselho de Administração da ANAC, Amélia Domingues Kuvíngua e integrada pelos Presidentes dos conselhos de Administração da Agência Reguladora de Certificação de Carga e Logística de Angola (ARCCLA), Catarino Fontes Pereira, da Empressa Nacional de Navegação Aérea (ENNA), Manuel Júnior Filipe, da Sociedade Gestora de Aeroportos (SGA), Manuel Gomes, e por quadros séniores das referidas instituições.

Colunistas