Connect with us

Sociedade

Autoridades denunciam crime ambiental no Lubango

Published

on

Os habitantes do município do Lubango, província da Huíla, estão apavorados com a invasão de animais selvagens em áreas residenciais, e, segundo autoridades, “por ignorância e medo”, acabam por abatê-los.

As autoridades provinciais que procuram travar a situação, consideram que o abate configura um crime ambiental.

A directora provincial do Ambiente, Gestão de Resíduos e Serviços Comunitários, Tânia dos Santos, avança que os registos dos últimos seis meses apontam para o aparecimento, na comuna da Arimba, de um serval, que foi confundido com um leopardo, entretanto, os habitantes assustados queriam matá-lo, mas foram impedidos pelas autoridades, que os informaram que se tratava de um felino inofensivo.

Dias depois, o animal foi localizado, com as suas crias, e devolvido à natureza.

Já nesta semana, um lagarto do tipo varanus, parecido com um dragão, foi abatido por seguranças, a pedido dos moradores.

Tânia dos Santos disse que esse animal é característico de zonas mais húmidas, e explicou que, provavelmente, com a paragem das chuvas, o bicho tenha saído dessa zona confinada e à procura de seu habitat, área em que agora estão as residências.

A directora disse que com a mudança para a estação seca “é normal” que comecem a aparecer, principalmente os répteis habituados à humidade.

Segundo a ambientalista, a maior parte desses animais não está a invadir as zonas residenciais, “mas sim as cidades é que invadiram o seu habitat, pelo que essas ocorrências vão aumentar, daí que a população deve estar preparada para lidar com isso”.