Connect with us

Economia

“Autocarros e construção de fábrica de montagem”, justifica Executivo gasto de 323 milhões de euros

Published

on

O Presidente da República, João Lourenço, autoriza a compra de 600 novos autocarros de transporte públicos, a serem distribuídos pelo país, com um investimento de 323 milhões e 500 mil euros.

A medida vem determinada no Decreto Presidencial no 111/24 de 17 de Maio, que justifica a decisão, com a necessidade de se garantir a continuidade do programa de expansão dos transportes públicos para o cumprimento das prioridades estabelecidas no plano de desenvolvimento Nacional e no plano director do sector dos transportes e infra-estruturas rodoviárias.

Em nota, enviada ao Correio da Kianda, o Ministério dos Transportes esclarece que, enquanto responsável por propor a formulação, condução, execução, avaliação e controlo da política nacional dos transportes e da logística, reitera o firme compromisso que assumiu com a implementação do Programa de Mobilidade Urbana, com a melhoria e a requalificação da oferta do serviço de transportes público em Angola, factores de que em muito depende o desenvolvimento económico e social do país.

“A decisão de adquirir 600 autocarros da marca Volvo, é parte integrante do Programa de Expansão dos Transportes Públicos, comportando quer a aquisição de autocarros standard quer de autocarros articulados, autocarros 4×4 para as províncias do Leste e Sul, o transporte dos mesmos para Angola, seguro de transportes, responsabilidades fiscais aduaneiras, o fornecimento de equipamentos para a manutenção preventiva e a assistência técnica aos veículos, assim como a construção da primeira fábrica de montagem de autocarros na Zona Franca da Barra do Dande, Província do Bengo”, lê-se no documento.

Com o investimento de 323.500.000 euros, o programa garante também o arranque da construção da fábrica montagem de veículos, num investimento estimado em 90 milhões de euros, reservado a reduzir a dependência das importações e de promover a autonomia industrial do país.

“Prevê-se que esta fábrica possa vir a exportar veículos para os países vizinhos, contribuindo acentuadamente para a arrecadação e divisas e para a diversificação da economia de Angola”, sublinha o documento.

A frota de transportes públicos a nível nacional foi reforçada de 2019 até o ano de 2024 com 1907 autocarros, com capacidade máxima para transportar 40 milhões de passageiros/mês.

A implementação do passe social vai elevar de forma significativa o número total de passageiros transportados mensalmente, por proporcionar o acesso aos transportes públicos a uma camada da população que não o utilizava até ao momento, nomeadamente dos estudantes que frequentam o ensino público, antigos combatentes e veteranos da pátria, entre outros.

Consequentemente, a frota de transportes públicos actual precisa de ser reforçada com um número mínimo de 1.500 autocarros, para além da introdução de outros sistemas de transportes como o Bus Rapid Transit (BRT), o Metro de Superfície e o eficiente funcionamento dos sistemas urbanos e interurbanos ferroviários. Este reforço pode elevar-se até 2.700autocarros, para que os transportes públicos possam responder ao aumento das necessidades da população angolana.

Aquele departamento ministerial justifica que a introdução desta medida e o firme compromisso de proporcionar a toda a população angolana condições de mobilidade, permitiu desenvolver contactos para a aquisição dos 600 autocarros da marca Volvo, bem como para a construção de uma fábrica de sua montagem, que com vista a proporcionar ao país autonomia no sector, de que não dispõe de momento.

Refere ainda no documento, que o objectivo do Executivo é de criar as condições de mobilidade de que os cidadãos precisam na capital e nas restantes províncias, e criar condições que permitam a médio prazo deixar de depender exclusivamente de importação de veículos.

Com a decisão de construir a fábrica de montagem de veículos no país, o ministério dos Transporte garante criar mais de 2.000 empregos directos, estimular o empreendedorismo e promover oportunidades de desenvolvimento profissional, através da transferência de tecnologia e de conhecimento para Angola.

Os cidadãos nacionais passam a beneficiar-se, neste projecto, de formação técnica avançada no ramo da engenharia automóvel, manufactura, gestão da qualidade, e inteligência artificial.