Connect with us

Sociedade

Aumento de trabalho infantil preocupa cidadãos da Huíla

Published

on

O número de crianças que se dedica ao trabalho forçado na província da Huíla tem aumentado nos últimos tempos.

Ouvido esta segunda-feira, 12, pela Rádio Correio da Kianda, por ocasião do Dia Mundial contra o Trabalho Infantil, celebrado hoje, António João disse que abandonou a escola para se dedicar ao trabalho de engraxador e, desta forma, sustentar a família.

Outro menor, Abel Chipita, disse que vê-se obrigado a vender paracuca para custear os estudos.

Por sua vez, a responsável pelo INAC na Huíla, Olga Bartolomeu, mostra-se preocupada com o elevado número de crianças exploradas muitas vezes pelos seus tutelares.

Já o porta-voz da polícia na Huíla, Inspector-chefe Benedito Walter, apela à denúncia de actos de exploração de menores.