Connect with us

Mundo

Arranca julgamento de pastor queniano que incentivava fiéis a morrerem de fome para “encontrar Jesus”

Published

on

O pastor queniano Paul Nthenge Mackenzie e mais 30 dos seus seguidores, foram presentes a um tribunal no Quénia esta quarta-feira, 17, acusados do homicídio de 191 crianças.

Pesam sobre o pastor os crimes de terrorismo e homicídio culposo e doloso e de ter incitado os seus seguidores a morrerem de fome para “encontrar Jesus”, um caso que chocou o mundo, Segundo a Promotoria.

Paul Mackenzie, foi detido desde Abril, bem como outros 94 suspeitos, no âmbito da investigação da morte de 429 seguidores da sua seita evangélica, depois que corpos foram encontrados em uma floresta perto da costa do Oceano Índico.

Entretanto, a sua prisão preventiva foi prorrogada diversas vezes ao longo da investigação.

Sobre o assunto, Mackenzie e os outros suspeitos ainda não se pronunciaram porque o juiz do Supremo Tribunal da cidade costeira de Malindi, Mugure Thande, acedeu a um pedido do Ministério Público para que se submetessem a avaliações mentais e regressassem ao tribunal a 06 de Fevereiro.

De acordo com a acusação do Ministério Público, os restos mortais de 180 das 191 crianças ainda não foram identificados,

As sepulturas foram encontradas depois de a polícia ter resgatado 15 membros da igreja extremamente subnutridos, que disseram aos investigadores que Mackenzie lhes tinha dado instruções para jejuarem até à morte antes que o mundo acabasse. Quatro dos 15 morreram depois de terem sido levados para um hospital.