Connect with us

Politica

António Venâncio apresenta-se como candidato de alternância no próximo congresso do MPLA

Published

on

O engenheiro e militante do partido no poder, MPLA, Antônio Francisco Venâncio, apresentou nesta terça-feira, 19, em conferência de imprensa, em Luanda, a sua moção estratégica de pretensão de candidatar-se à presidência do MPLA, como candidato de alternância, que “visa minimizar o nível do descontentamento no seio das populações que resulta em situações exógenas e endógenas não resolvidos”.

“Uma candidatura como proposta alternativas para o desenvolvimento poderá melhorar o ambiente político nacional e com isso relançar o pensamento político e econômico para construção de uma Angola nova, mais virada para a resolução dos problemas do povo”, disse

António Francisco Venâncio diz não estar intimidado nem preocupado pela decisão que faz em concorrer ao cadeirão máximo do MPLA, de acordo com o militante dos camaradas, o MPLA deixou de ser um partido marxista-leninista e enveredou por um novo caminho democrático, respeitando o direito dos militantes em elegerem e serem eleitos para o cargo de direcção, desde a base ao topo da organização, “sem que para tal beneficiem de privilégios especiais”.

Com 48 anos de militância, António Francisco Venâncio faz história no MPLA, pelo facto de ser o primeiro militante, desde a fundação do partido, a manifestar intenção de candilar-se à liderança do partido que está há mais de 45 anos no poder. O mentor do Rio Luanda, fez saber que, para concorrer a qualquer função ou cargo no MPLA, deve o militante apresentar, na organização de base ou de organismo a que pertença, a sua pretensão de candidatura, segundo os estatutos do MPLA.

Na conversa com os jornalistas, o aspirante ao cadeirão máximo do MPLA contou que caso venha a merecer a confiança dos militantes e da direcção e ser eleito presidente do seu partido e, consecutivamente designado “cabeça de lista”, uma vez vencida as eleições e liderar o governo irá introduzir as reformas profundas previstas na moção de estratégia, que promete revelar depois da aprovação da candidatura.

O político de 63 anos de idade deu a conhecer que até ao momento já perto de sete províncias manifestaram solidariedade e começaram já no processo de recolha de assinaturas que atingiu uma cifra de mil subscrições dos dois mil exigidos pelo estatuto deste partido.

E na visão do  engenheiro de construção civil, sobre a luta contra a corrupção precisa de uma nova visão de Estado. No seu entender, “o centro de combate a corrupção deverá ser deslocado para instituições vocacionados e deve comportar três eixos fundamentais, Educação, Economia e o Poder Judicial para combater a impunidade”, disse e acrescenta, que é preciso separar os empresários da politica e os políticos da governação.

O também empresário do ramo da construção civil, finalizou afirmando que precisamos desenvolver uma nova mentalidade política, de união e concórdia nacional entre todos os angolanos, sem discriminação de cor da camisola partidária ou filiação politica, igualar o campo da democracia da disputa politica, introduzindo profundas reforma na Constituição da República.

Continue Reading
2 Comments

2 Comments

  1. GVentura

    21/10/2021 at 8:20 am

    Parabéns ao grande Mestre AFV! Fiquei feliz pela decisão, decerto se eu tivesse também tempo de militância teria feito o mesmo, devemos sim lutar para resgatar o prestígio do MPLA.

  2. Pingback: MPLA em Luanda manifesta apoio à João Lourenço como cabeça-de-lista para 2022 - Correio da Kianda - Notícias de Angola

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Daniel Sapateiro
Daniel Sapateiro (24)

Economista e Docente Universitário

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (27)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (91)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (22)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania