Connect with us

Economia

ANPG e Sonangol reactivam bloco inactivo ha 27 anos

Published

on

O Bloco KON11, localizado na comuna do Cabo Ledo, em Luanda, volta a ser explorado, agora, pela Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG) e a Unidade de Negócio de Exploração e Produção da Sonangol (UNEP), depois de ter estado inactivo nos últimos 27 anos.

Neste momento, de acordo com uma nota enviada ao Correio da Kianda, estão a ser feitos trabalhos de preparação para perfuração e avaliação no Bloco KON11 da Bacia terrestre do Kwanza, estando, igualmente, em curso os procedimentos técnicos para garantir a execução da empreitada dentro dos padrões de segurança e ambiente exigíveis na indústria petrolífera.
A execução das operações do Bloco, que se encontrava inactivo desde 1996, é da responsabilidade do consórcio constituído pela Sonangol Pesquisa e Produção (com 30%), na qualidade de operador, a Brite’s Oil and Gas (com 25%), o Grupo Simples Oil e a Atlas Petroleum Exploration Worldwide (que detêm 20% cada), bem como a Omega Risk Solutions Angola (com 5%). Trata-se de uma concessão adjudicada no quadro da Licitação 2020.

Em caso de resultados promissores após a perfuração, o consórcio deverá avançar para o levantamento de dados geológicos e geofísicos (G&G) para melhorar o mapeamento das estruturas no Bloco, sem prejudicar o desenvolvimento preliminar destinado ao reinício da produção.

“O reinício das actividades de pesquisa no Bloco KON11 representa, de acordo com o documento, um marco importante para a indústria petrolífera angolana, por efectivar a reactivação das operações num bloco terrestre sem actividades desde os anos 90 em função do contexto adverso da época”, lê-se.

Colunistas