Connect with us

Politica

Angolanos entre os que terão que pagar garantia de até USD 15 mil para visitar os EUA

Published

on

Os cidadãos de Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau e São Tomé e Príncipe terão que pagar uma garantia que varia de USD cinco mil a 15 mil para poderem visitar os Estados Unidos, de acordo com uma ordem temporária emitida pelo Departamento de Estado.

De acordo com a informação divulgada pela VOA, a medida entra em vigor a 24 de Dezembro e prolonga-se até Junho do próximo ano e abrange diversos países “a maior parte dos quais africanos, cujos cidadãos têm grandes níveis de violação de prazos de estada ao abrigo dos seus vistos de turismo e de negócios”.

De acordo com a administração Trump, a medida de seis meses servirá para testar a capacidade de se recolher a garantia e funcionará de dissuasão diplomática àqueles que pretendem violar os prazos de estada no país.

Com isso, os funcionários consulares americanos irão requerer aos viajantes desses países, em deslocações de turismo e negócios com um nível de violação de mais de 10% em 2019, o pagamento de uma quantia reembolsável que pode chegar até a USD 15 mil.

Entre os países abrangidos contam-se, além dos quatro de língua portuguesa, a República Democrática do Congo, Libéria, Sudão, Chade, Burundi, Djibouti, Eritreia, Gâmbia, Mauritânia, Burkina Faso, Líbia, Afeganistão, Butão, Irão, Síria, Laos e Iémen.

A VOA destaca ainda que Moçambique é o único lusófono em África não abrangido pela medida.