Connect with us

Economia

Angola protesta decisão da OPEP+ de reduzir produção de petróleo

Published

on

A República de Angola decidiu vetar a decisão da Organização de Países Exportadores de Petróleo e não exportadores (OPEP+), em reduzir a produção do crude para 1.110 mil barris/dia dos actuais 1.180 barris dia.

A posição de Angola foi manifestada ontem, na 36° reunião ministerial da OPEP+ que decorreu por videoconferência, e visou definir, entre outros objectivos, a quota de produção diária para o ano de 2024.

“Para a República de Angola foi atribuída uma quota de produção de 1.110.000 barris de petróleo bruto por dia, definida com base em projecções de fontes secundárias, contrariando a proposta de Angola que é de 1.180.000 barris de petróleo bruto por dia”, lê-se no documento oficial em que Angola manifesta a sua posição.

Através do Ministério dos Recursos Minerais Petróleo e Gás, o governo angolano reforça que pelo facto de a decisão não ter sido tomada por unanimidade e ser contra a posição, vai manter-se a quota de produção diária de 1.180.000 barris dia no ano de 2024.

A nota de protestO de Angola, contra a decisão dela OPEP+ foi enviada ao secretariado da Organização.

A OPEP+ é composta por países exportadores e não exportadores de petróleo. Angola é membro do referido organismo mundial há mais de 16 anos.

Produtores de petróleo africanos perto de acordo sobre níveis de produção