Connect with us

Economia

Angola produziu mais de três milhões de toneladas de cereais em 2023

Published

on

A informação foi avançada nesta quarta-feira, 27, em Luanda, pelo ministro da Agricultura e Florestas, Francisco de Assis, quando procedia o discurso de cumprimentos de fim de ano e balanço da produtividade agrícola em 2023.

Segundo o governante, a produção de cereais, no ano que agora termina, foi de 3.357.136 toneladas (três milhões, trezentas e cinquenta e sete mil, cento e trinta e seis toneladas), o que representa um crescimento de 5,3 %, em relação ao ano agrícola anterior.

“Na fileira dos cereais temos que reconhecer e agradecer o empenho e dedicação dos produtores familiares e dos empresários, no domínio do trigo e do arroz, estão a fazer história e conquistaram o nosso respeito e admiração. Na campanha agrícola passada tivemos o aumento na ordem de 241 % na produção trigo e de 158 % na cultura de arroz, fruto do engajamento dos produtores e acompanhamento do Sector”, afirmou.

De acordo com Francisco de Assis, nas fileiras de raízes e tubérculos, foram produzidas 13.743.973 toneladas, (treze milhões, setecentas e quarenta e três mil, novecentas e setenta e três toneladas), um crescimento de 6,3%, em relação ao ano agrícola anterior. Nesta fileira a cultura da mandioca continua a liderar.

Em relação as leguminosas e oleaginosas, o ministro avançou que foram produzidas 664.989 toneladas, (seiscentas e sessenta e quatro mil, novecentas e oitenta e nove toneladas), um crescimento de 3,7%, em relação ao ano agrícola anterior.

Quanto as hortícolas, foram produzidas 2.203.362 toneladas, (dois milhões, duzentas e três mil, trezentas e sessenta e duas toneladas), um crescimento de 11,5%, em relação ao ano agrícola anterior.

Na fileira das frutas foram produzidas 6.487.767 toneladas, (seis milhões, quatrocentas e oitenta e sete mil, setecentas e sessenta e sete toneladas), um crescimento de 6,7 %, em relação ao ano agrícola anterior.

Em relação a cana de açúcar foram produzidas 1.296.000 toneladas (um milhão, duzentas e noventa e seis mil toneladas), que corresponde a 12,7 % de aumento em relação ao ano anterior.

No domínio do café, a produção foi de 6.229 toneladas (seis mil, duzentas e vinte e nove toneladas), uma variação de 19, 7 % em relação ao ano passado, das quais 656 toneladas (seiscentas e cinquenta e cinco toneladas), provém da contribuição do sector empresarial.

No que concerne ao fomento da produção do cacau, estendeu-se para outras províncias do país, fora da região tradicional de Cabinda. Foram produzidas e distribuídas 40.000 (quarenta mil) mudas de cacau, acção que originou o surgimento de novas áreas de fomento desta cultura, para alem da Província de Cabinda, as províncias do Zaire, Bengo, Uíge, Cuanza Norte e Cuanza Sul, augurando um aumento da produção de cacau nos próximos 3 anos.