Connect with us

Sociedade

“Angola precisa de medidas mais duras para travar contrabando de combustível”

Published

on

O Serviço de Investigação Criminal deteve esta quinta-feira, 08, seis cidadãos nacionais envolvidos no crime de contrabando de combustíveis.

A informação foi avançada pelo porta-voz da corporação, Manuel Halaiwa, que disse que os suspeitos são acusados de serem parte de uma rede criminosa que se dedica ao contrabando e adulteração do combustível, para posterior venda em vários pontos de Luanda.

A rede, explicou, recebia o combustível do centro de abastecimento da Sonangol e o transportava em camiões até um quintal no município de Cacuaco, onde o depositavam.

Manuel Halaiwa alerta aos agentes económicos a terem maior cuidado e fazerem um melhor acompanhamento e fiscalização dos camionistas.

Recordar, que o relatório parecer conjunto sobre a Proposta de Lei de Combate ao Contrabando de Produtos Petrolíferos foi aprovado, recentemente pelos deputados das Comissões Especializadas da Assembleia Nacional.

Os parlamentares deram luz verde, com 146 votos a favor, nenhum contra e nenhuma abstenção.

Recentemente, o Ministro dos Recursos Minerais Petróleo e Gás reconheceu que “Angola precisa de Leis e medidas mais pesadas” para desencorajar a prática de contrabando de combustível.

Diamantino Azevedo falava no Parlamento durante a discussão da proposta de Lei sobre o combate ao contrabando de combustível.