Connect with us

Economia

Angola e União Europeia rubricam acordos avaliados em mais de 120 milhões de euros

Published

on

A União Europeia (UE) e o Governo angolano rubricaram, esta quinta-feira, em Luanda, três acordos avaliados em 120.1 milhões de euros, no âmbito do Programa Indicativo Plurianual (PIP) 2021-2027 para Angola.

Dos acordos assinados pela chefe da delegação da UE, Jeannette Seppen, e pelo ministro da Economia e Planeamento, Mário Caetano João, consta o programa de revitalização da agricultura, que está avaliado em 40 milhões de euros, destinados a revitalizar a rede de 12 institutos agrários.

O referido programa agrícola, segundo Jeannette Seppen, vai potencializar o fomento ao emprego dos estudantes e dinamizar a adaptação do sector agrícola no que toca as alterações climáticas e as necessidades nutricionais do país.

Jeannette Sppen disse ainda que o programa vai transformar tais institutos em benefício da comunidade, através de actividades de extensão e melhoria das infra-estruturas.

De acordo com a responsável, o segundo programa é relativo à formalização da economia, incluindo a protecção social e apoio à gestão das finanças públicas, que conta, actualmente, com um financiamento de 62 milhões de euros, provenientes da União Europeia.

Apontou ainda o programa, avaliado em 17.500 euros, que visa facilitar o apoio das estratégias de desenvolvimento do Governo de Angola.

Na ocasião, o ministro da Economia e Planeamento, Mário Caetano João, precisou  que tais assinaturas constam da partilha de experiência e boas práticas entre Angola e a União Europeia.

Daí que, indicou, Angola tem sido objecto de crescente atenção da parte de muitos países e agências internacionais de desenvolvimento, devido, não só, as reformas de natureza político-económica, mas sobretudo aos ajustamentos institucionais.

Fez saber que um processo constante e permanente que visa o aumento da transparência, através da adopção de boas práticas de gestão, tem sido factor de atracção de investimento estrangeiro e de credibilidade, junto de instituições de financiamento ao desenvolvimento.

Baseado nos instrumentos de planeamento do Governo, nomeadamente a Estratégia de Longo Prazo Angola 2050, em fase conclusiva, as perspectivas do Plano de Desenvolvimento Nacional 2023-2027, a União Europeia designou os seus domínios prioritários para Angola no período 2021-2027.

A União Europeia destacou a diversificação económica sustentável, governação transparente, responsável e eficaz, bem como o estado do desenvolvimento humano.

Por Angop