Connect with us

Cultura

Angola doa a França esculturas que integravam jardins da embaixada de França em Angola em 1979

Published

on

O Estado angolano, através do ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Filipe Zau, assina hoje no Palácio de Versalhes um acordo de cooperação cultural com a França, oficializando a devolução de duas esculturas encomendadas pelos reis Luís XIV e Luís XV.

As duas obras de arte em questão, um conjunto escultórico denominado Zéphyr, Flore et l’Amour e uma escultura denominada l’Abondance, tinham sido encomendadas, respectivamente, pelos reis Luis XIV e Luis XV, para decorarem os jardins dos seus castelos, e fazem parte do património de Versalhes que ficou disperso como consequência da Revolução, e sobre o qual o castelo tem estado a envidar um grande esforço desde há cerca de dois séculos para a sua localização e recuperação.

Propriedades do Estado angolano desde 1979, data em que foi adquirido o edifício da embaixada em França em cujo jardim se encontravam, as esculturas foram localizadas em 2018 por um especialista de Versalhes que desconhecia o seu paradeiro e que tinha feito um estudo aturado dos arquivos disponíveis sobre as vendas que envolviam o património do castelo e as sucessivas mudanças de proprietário, com o objectivo de inventariar e fazer uma busca nos bens imóveis de todos os descendentes, na esperança de que as obras ainda se encontressem em França.

“O Estado angolano concordou em doar as esculturas ao Estado francês, em nome das excelentes relações de cooperação bilateral incluindo no domínio da Cultura, e tomando em consideração o grande respeito que Angola nutre pela história, pelo património e pela identidade cultural dos povos, reafirmando deste modo, a sua convicção sobre a primazia de cada país no usufruto da sua própria criação artística”, lê-se na nota da embaixada de Angola em Paris enviada às redações.

O ministro da Cultura, Turismo e Ambiente angolano encontra-se hoje no Palácio de Versalhes com a sua homóloga francesa, Roselyne Bachelot, inaugurando em conjunto uma exposição sobre a reposição das duas obras, Zéphyr, Flore et l’Amour e Abondance.

A exposição ficará patente no Palácio de Versalhes durante três meses. As peças vão integrar na sua descrição a menção da doação da República de Angola e a França vai entregar duas réplicas em julho ao Governo angolano.

Além da doação das obras, os dois Estados vão ainda promover “o intercâmbio entre profissionais de ambos os países no domínio dos museus e do património”, com a deslocação a Versalhes de técnicos angolanos e “no domínio da definição e implementação de políticas e de legislação cultural”, com especialistas franceses a visitarem ainda este ano Angola.

 

C/ Lusa