Connect with us

Economia

Angola deixará de importar milho para abastecer a Reserva Estratégica Alimentar

Published

on

Angola deixará de importar milho para abastecer o stock da Reserva Estratégica Alimentar (REA), em 2023, como resultado do programa de fomento agrícola lançado há um ano pelo Executivo, garantiu o ministro da Indústria e Comércio, Victor Fernandes.

O projecto, que envolve os Ministérios da Indústria e Comércio, da Agricultura e Florestas e o Grupo Carrinho, abrange 58 mil famílias que se dedicam a agricultura familiar em todo o território nacional, avançou, em declarações esta semana, no Cuanza Sul.

“A REA é só um instrumento que vai absorver uma parte da produção nacional. O que se pretende com esse fomento que estamos a fazer, é que o contágio se faça para toda a sociedade e que o mercado funcione de forma normal”, alertou Victor Fernandes, sublinhando que a REA “não será o operador da absorção da produção nacional”.

Na mesma actividade, o ministro da Agricultura e Florestas, António de Assis, insistiu na “necessidade de se capacitar técnica e cientificamente os agricultores nacionais para o fomento das suas produtividades”.

Formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, a profissional actua no mercado de comunicação há 18 anos. Iniciou a sua carreira em 2004, apresentando um programa de rádio e logo migrou para a comunicação digital, para a impressa e, posteriormente, a institucional. Tem vasta experiência como web journalist, criação e gestão de redes sociais, tendo participado dos projectos de desenvolvimento de diversos sites, blogs e redes sociais governamentais, privados e do terceiro sector. Reside em Luanda desde 2012, tendo trabalhado como jornalista no portal de notícias Rede Angola, como assessora de imprensa e directora de Comunicação e Operações nas Agências NC - Núcleo de Comunicação e F.O.T.Y, atendendo diversos clientes governamentais e privados. Actualmente trabalha como editora do portal Correio da Kianda.

Colunistas