Connect with us

Politica

Angola debate papel da mulher na construção da paz e democracia

Published

on

A vice-presidente da República, Esperança da Costa, procedeu à abertura esta quinta-feira, 25, do Iº Fórum Internacional da Mulher para a Paz e Democracia,  num evento que envolve também, como palestrantes, Ellen Johnson Sirleaf  (ex-Presidente da República da Libéria), Epsy Campbell Barr – ex- Vice Presidente da Costa Rica (Membro do Fórum Permanente de Pessoas de Ascendência Africana do ACNUR) e Zahira Virani (Coordenadora Residente do Sistema das Nações Unidas em Angola).

O Iº Fórum Internacional da Mulher para a Paz e Democracia, que decorre durante dois (25 e 26 de Maio, no Hotel Intercontinental Miramar), é um evento que tem como foco a luta da mulher pela igualdade, emancipação, desenvolvimento continental para a Paz e Democracia, inserido no âmbito da Bienal de Luanda – Fórum Pan-Africano para a Cultura da Paz e Não-Violência, que é uma iniciativa conjunta entre o Governo de Angola, a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) e a União Africana (UA).

Coordenado operativamente pela Ministra de Estado para Acção Social, Dalva Ringote Allen, o Iº Fórum Internacional da Mulher para a Paz e Democracia, que decorre sob o tema “Inovação Tecnológica e Educação para o Alcance da Igualdade do Género” e como lema “A Inovação Tecnológica como Ferramenta para o Alcance da Segurança Alimentar Combate a Seca no Continente Africano”,  tem como objectivos: 

  • Reafirmar e fortalecer o compromisso político, com a realização de acções referentes à igualdade do gênero, ao empoderamento de mulheres e meninas, bem como, seus direitos humanos, garantindo o envolvimento de alto nível;

  • Promover eventos de discussão por meio de mesas redondas, diálogos interativos de alto nível, para troca de experiências, lições aprendidas e boas práticas;
  • Debater sobre a situação da igualdade do gênero no continente Africano, identificando metas e conquistas alcançadas, e os desafios para colmatar as lacunas existentes.

O Iº Fórum Internacional da Mulher para a Paz e Democracia tem ainda como objectivos específicos:

  • Identificar áreas de convergência dentro dos capítulos nacionais da Bienal de Luanda e expandir a posição de grupos de líderes de jovens mulheres a nível nacional;
  • Estabelecer protocolos de cooperação regional, continental e internacional;
  • Propor acções concretas para qualificação de jovens mulheres, promovendo oportunidades para o acesso ao mercado de trabalho.

Para materializar os referidos objectivos, foram programados , de modo global, para os dois dias de trabalho, cinco painéis temáticos, nomeadamente “Os desafios da globalização no processo de empoderamento do gênero”, “Inovação tecnológica e educação para alcance da igualdade do género”, “A formalização como mecanismo de inclusão social e financeira”, “Desafios da segurança alimentar e  alterações climáticas no continente africano” e “ O papel da mulher na consolidação da paz e prevenção de conflitos “.

O programa do Iº Fórum Internacional da Mulher para a Paz e Democracia inscreve ainda duas aulas magnas no auditório de conferências do Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, com os temas “Desafios da Segurança Alimentar e Alterações Climáticas no Continente Africano”, por Papa Abdoulaye Seck ( ex-ministro da Agricultura e Equipamento  Rural e Embaixador do Senegal na Itália) e “Financiamento do Desenvolvimento em África Aclama por Mudança de Paradigma: O Papel Motor dos Recursos Domésticos”, por Cristina Isabel Lopes Duarte – Conselheira do Secretário Geral da ONU para África.

Esta quarta-feira, 22 de Maio, decorre, às 16h00, no Centro de Imprensa Anibal de Melo, a Conferência de Imprensa de lançamento do Fórum pelo Secretário de Estado para a Comunicação Social, Nuno Albino Caldas, na qualidade de porta-voz do evento.

O Iº Fórum Internacional da Mulher para a Paz e Democracia tem como Público-Alvo Mulheres Líderes de Organizações Regionais Africanas, Mulheres Líderes, Chefes de Governo e membros dos PALOPS, CPLP e OEACP. Organizações Internacionais e Nacionais, Representantes de Missões Diplomáticas, Representantes de entidades do sector público, Empresas públicas e privadas e Entidades do sector privado.

Para mais informações consulte: https://forum.bienaldeluanda.gov.ao/