Connect with us

Politica

Analista considera Comissão para Autarquias um “artifício político”

Published

on

O analista político e social, Sapalo António, considerou esta sexta-feira, 21, ao Correio da Kianda, que a Comissão Interministerial para a Elaboração e Implementação do Plano Integrado de Institucionalização das Autarquias Locais, criada pelo Presidente da República, João Lourenço, na passada terça-feira, 18, não passa de um “artifício político” que visa somente ganhar tempo e dar entender à sociedade angolana que estão sendo preparado a realização das eleições municipais.

Sapalo António sublinha que já passam mais de 12 anos, que o país vem tentando a institucionalização das autarquias em Angola. De acordo com economista o MPLA vem alimentando esse desejo desde 2010, por isso, que eles nunca irão programar a institucionalização das autarquias.

A comissão que terá como objectivo do processo de desconcentração e descentralização administrativas está ser coordenada pelo ministro de Estado e chefe da Casa Civil do Presidente da República, Adão de Almeida, coadjuvados pelo como coordenador adjunto, o ministro da Administração do Território, Dionísio da Fonseca, e integra os titulares dos Ministérios do Interior, Eugénio de César Laborinho; da Justiça e dos Direitos Humanos, Marcy Lopes; das Finanças, Vera Daves de Sousa; da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, Teresa Rodrigues Dias; das Obras Públicas, Urbanismo e Habitação, Carlos Alberto dos Santos; das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Mário Oliveira.

Para Sapalo António não passam de “blefes” e inúmeros discursos do próprio João Lourenço, o ex-deputado do PRS disse que o Presidente da República foi um dos pioneiros da aprovação da constituição que institucionaliza as autarquias.

“Está comissão é um artifício. É mais um arrastar de tempo, e que, não se deve confiar no MPLA”, disse.

“Angola está morrendo porque algumas pessoas foram confiando no que o MPLA diz. Era necessário que o Chefe de Estado agendasse uma data para realização das eleições autárquicas”, afirmou o político.

Sapalo António relembra que “há mais de 12 anos que vem nos prometendo” a realização das autarquias locais no país, e que “o actual Presidente da República nas vestes de primeiro vice-presidente da Assembleia Nacional e os demais deputados do MPLA haviam acordado que de 2010 a 2012, seria o período de criação de condições para realização das eleições municipais”.

Afirma ainda que “conhecendo bem como MPLA funciona, não acredito que esta comissão venha ter êxitos nos próximos tempos”.

“O MPLA sendo um alérgico a descentralização das autarquias locais não haverá as autarquias neste mandato”, finalizou.

Colunistas