Conecte-se agora

Economia

Alves da Rocha diz que “FMI é prejudicial à economia angolana”

Redação

Publicados

on

- alves da rocharumo1000x600 - Alves da Rocha diz que “FMI é prejudicial à economia angolana”

O economista Alves da Rocha disse que o FMI e outras entidades internacionais são prejudiciais à economia angolana e que Angola precisa de um modelo económico próprio em vez de “copiar” o que vem de fora.

Em declarações à Lusa, à margem de um seminário sobre relações China-Angola, o economista e director do Centro de Estudos e Investigação Cientifica (CEIC) da Universidade Católica de Angola, salientou que o modelo do FMI não é o único a seguir e que se devem procurar alternativas.

“Numa situação de pobreza, de rendimentos escassos, como é que se aceita um acordo com o FMI cujas chaves mestras são a diminuição do investimento público, o corte de despesas públicas, o aumento dos impostos?” – questionou, lamentando que não haja um modelo de pensamento económico angolano.

Alves da Rocha interrogou-se igualmente sobre “quando é que o ajustamento macroeconómico que o FMI impõe, nomeadamente em África” terá fim.

“O FMI impõe a ideia de que primeiro tem de haver o ajustamento macroeconómico, a eliminação do défice orçamental, a redução da dívida pública no PIB, a redução da inflação, aquele receituário que a gente já conhece (…) Esquecem-se de que consolidação sem crescimento económico e redução da pobreza não existe”, criticou.

 

C/ LUSA

Continue Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Colunistas

Ana Margoso
Ana Margoso (14)

Jornalista

António Sacuvaia
António Sacuvaia (281)

Editor

Diavita Alexandre Jorge
Diavita Alexandre Jorge (12)

Politologo

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (16)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (17)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (68)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (11)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

Publicação