Connect with us

Sociedade

Alimentos deitados no aterro sanitário dos mulenvos são vendidos nos mercados do Cazenga e Cacuaco

António Sacuvaia

Published

on

Por meio de um atalho, alguns populares moradores das cercanias do aterro sanitário dos mulenvos, têm estado a entrar naquele local sem serem visto pela Polícia, onde recolhem alimentos deteriorados ali deitados, alguns para consumo e outros para a comercialização.

Os mercados informais de cacuaco e cazenga, são os que mais se pode encontrar produtos alimentares provenientes daquele local, segundo uma denúncia enviada ao Correio da Kianda por moradores dos arredores daquele aterro sanitário.

Produtos alimentares como maçã, frango, mortadela entre outros, são os que mais se recolhem, e parte destes são encaminhados para os mercados informais dos municípios do cazenga e cacuaco conforme fez saber um dos cidadãos em conversa com a equipa de reportagem do Correio da Kianda naquela zona.

“Aqui tem um caminho onde as pessoas entram sem serem visto pela Polícia. É uma outra entrada onde muita gente entra para ir recolher comida que deitam ali para ir vender e outros para comer. Revela uma senhora, que não aceitou identificar-se.

Com a desagregação de famílias devido à fome-associado ao Estado de Emergência, alguns cidadãos daquela comunidade dos mulenvos, tem sido obrigados a entrar de formas clandestinas ao aterro sanitário , onde acabam por recolher comida para se alimentarem, alimentos estes, que como consequência, muitas são as pessoas que têm sido intoxicadas, com contornos graves para a saúde.

Continue Reading
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (23)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (74)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (14)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania