Connect with us

Angola que dá certo

AgroProdesi: Angola e FAO assinam acordo de parceria

Redação

Published

on

O ministro da Economia e Planeamento, Sérgio dos Santos e a representante residente do Fundo das Nações Unidas para a Alimentação (FAO), Gherda Barreto, assinam nesta quarta-feira, 04, às 16h, um acordo de parceria para a implementação do projecto AgroProdesi.

Os objectivos do projecto são: promover a concertação económica com a participação da academia para o desenvolvimento do agro-negócio e da inovação tecnológica nas cadeias de valor priorizadas; facilitar a integração e o acompanhamento da academia nos processos de desenvolvimento de capacidades e formulação de planos de negócio para a agricultura, com auxílio da ferramenta da FAO, Rural Invest e My Coop; acelerar a integração das universidades nos processos de investigação participativa e inovação tecnológica para o fortalecimento das cadeias de valor priorizadas e promover formações direccionadas em sede da Agricultura por Contrato, disseminar conhecimentos dos cinco tipos de contratos que a FAO preconiza assim como o MEP.

O projecto AgroProdesi, além do Ministério da Economia e Planeamento (MEP) que coordena, vai contar com a participação activa dos ministérios da Ensino Superior, Ciência, Tecnologias e Inovação (MESCTI), Ministério da Agricultura e Pescas (MINAGRIP), Ministério da Indústria e Comércio (MINDCOM), 29 faculdades, institutos e escolas superiores de oito universidades do país e a FAO.

O AgroProdesi visa o aumento da produção agro-alimentar nacional, integra de modo multissectorial e multiactor todas as valências já existentes e catalisa-as para responderem com celeridade as premissas de desenvolvimento do agro-negócio.

“As universidades são fontes de conhecimento e gerem a força juvenil que se prepara para os desafios profissionais da sociedade. A participação de professores e estudantes é chave para os processos de transferência de conhecimento, experimentação, inovação e geração de novas oportunidades de negócios, produtos e serviços”, diz o comunicado enviado ao Correio da Kianda.

Este plano, de modo geral, procura mobilizar todas as Instituições do Ensino Superior do país, dentro das suas condições a abraçarem os desafios do agro-negócio e de modo específico, iniciar um pacote experimental de actividades de integração das universidades públicas, com temáticas transversais tais como: negócio, gestão, investigação, inovação tecnológica e mentor no desenvolvimento do agronegócio e cadeias de valor agro-alimentares.

Com a participação das universidades pretende-se reforçar o alcance de dois produtos/resultados do AgroProdesi, refere o comunicado: o fortalecimento das capacidades dos principais actores a nível nacional e territorial em cadeias de valor agro-alimentar inclusivas e sustentáveis e a melhoria da capacidade de gestão financeira dos actores do agro-negócio (cooperativas, associações de agricultores, ECAs e prestadores de serviços) e incubadoras (jovens e mulheres), através de formações, tutorias, trabalho em rede e transferência de conhecimentos.

Nos próximos dias, vão ser assinados memorandos de entendimento entre o AgroProdesi, os MEP, MESTI, MINAGRIP e MINDICOM, universidades e a FAO.

Continue Reading
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (23)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (78)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (15)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

© 2017 - 2020 Todos os direitos reservados a Correio Kianda. | Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.
Ficha Técnica - Estatuto Editorial RGPD