Connect with us

Economia

Agricultores chegam a perder mais da metade da produção no Cuanza Norte

Published

on

Centenas de agricultores no município de Ambaca mostram-se preocupados com a subida galopante dos preços de fertilizantes, bem como com o mau estado das vias, que acabam por condicionar o escoamento dos seus produtos para o mercado. Os mesmos dizem que mais da metade da produção chega a apodrecer.

Essa preocupação foi expressa pelo presidente da cooperativa da Comuna de Luinga. Em declarações ao Correio da Kianda, Alfredo Inglês disse que “os fertilizantes estão cada vez mais caros. Um saco de 25 quilogramas de adubo está a custar 30 mil kwanzas”. Segundo ele, os produtores não tem “condições financeiras para adquirir o produto, por esta razão, estamos a produzir poucas quantidades nos últimos tempos, o contrário teríamos uma maior produção”.

Alfredo Inglês ressaltou ainda que o acentuado grau de degradação de alguns troços que ligam as sedes comunais às zonas de produção agrícola e a falta de meios de transporte são factores que estão a inviabilizar o processo de escoamento dos produtos do campo para os centros de comercialização.

De acordo com o responsável, em cada época agrícola são produzidos “mais de cinco mil toneladas de produtos diversos, como repolho, tomate, pimento, beringela, feijão, couve, mandioca e amendoim, mas grande parte dos mesmos apodrecem nos campos, por dificuldades de escoamento“, lamentou.

Relativamente ao acesso a créditos, na classe camponesa de Ambaca, o Director Municipal da Agricultura aponta a falta de títulos de concessão de terras, direito de superfície, bem como da inscrição das propriedades agrícolas em Diário da República, como condicionalismo dos produtores para aderirem ao crédito bancário.

Olídio Lucas disse que os técnicos ligados às operacionalizações do projecto financiado pelo Banco Mundial e Agência Francesa para o Desenvolvimento, de um valor disponível avaliado em mais de 300 milhões de dólares, estiveram recentemente no local, a fim de se inteirarem das condições que estão na base da não adesão dos produtores ao referido crédito.

“Alguns deles já procederam à entrega de alguma documentação, como não estava completa para a cedência do crédito, regressaram com o intuito de completar a papelada, mas desde lá para cá os mesmos não voltaram para completar a documentação ou mesmo solicitar alguma instrução de nossa parte”, referiu.

Segundo ele, nos próximos dias, “tudo farão para alertar e motivar os homens do campo ao nível de Ambaca para que não desistam do processo, visto que o programa tem todas as condições para a melhoria da actividade agrícola nesta localidade, sendo a cedência do crédito uma grande oportunidade para o desenvolvimento do sector em grande escala”, avançou o governante.

Colunistas