Connect with us

Sociedade

“Agente da Polícia Nacional deve ter o espírito patriótico”, diz Comissário José Agostinho Paulo

Published

on

“O agente da Polícia deve ter o espírito patriótico e manter o seu profissionalismo, de forma a associar os princípios que regem a actividade policial, para que sirva de referência a toda sociedade”, disse esta terça-feira, o Comissário José Agostinho Paulo.

Para o responsável da Direcção de Telecomunicações e Tecnologias de Informação (DTTI) da Polícia Nacional, todos os efectivos daquele órgão do Ministério do Interior devem estar preparados para contrapor os aspectos tecnológicos nocivos que têm sido proliferados, atentando a imagem Institucional e das pessoas, sobretudo, nas redes sociais.

O objectivo, continuou, é de reforçar os mecanismos de detectar e intervir numa determinada situação.

O desenvolvimento tecnológico da PNA, e aprimoramento nos aspectos de segurança cibernético, bem como as soluções de natureza informática e dos meios de telecomunicações e equipamentos, “a Polícia angolana”, não devem estar distantes desse mundo, disse.

Por outro lado, acrescentou, a sociedade deve tirar bom aproveito das tecnologias de informação hoje, por meio de diversas plataformas, de forma a visualizar com frequência boas acções e negativas, sobre a Polícia Nacional Angola.

No entanto, para que o exercício de manutenção da ordem e tranquilidade pública, se cumpra com êxito, “é preciso a participação dos cidadãos”.