Connect with us

Mundo

África “merece uma voz” na arquitectura global de paz e segurança – ONU

Published

on

O secretário-geral da ONU defendeu ontem a “correção da falta de representação africana permanente” no Conselho de Segurança das Nações Unidas, frisando que África “merece uma voz” na arquitectura global de paz e segurança.

Num debate convocado por Moçambique para abordar o reforço do papel dos Estados africanos em desafios de segurança e desenvolvimento, António Guterres sublinhou que o fortalecimento da voz de África só poderá acontecer se os países africanos puderem participar “em pé de igualdade” nas estruturas de governação global.

Frequentemente considerado obsoleto, o Conselho de Segurança já é alvo de pedidos de reforma e expansão há décadas, com países emergentes como a Índia, África do Sul e Brasil a pretenderem juntar-se aos cinco membros permanentes – Rússia, China, Estados Unidos, França e Reino Unido.

Segurança em África

De ressaltar que esta sexta-feira, 24, Angola assumiu, em Luanda, a ​presidência do Comité Consultivo Permanente das Nações Unidas encarregue das questões de Segurança na África Central (UNSAC), num mandato que se estenderá até ​Novembro do corrente ano.

A passagem da presidência decorreu, segundo a Angop, durante a 57ª Reunião Ministerial da UNSAC, que decorre numa das unidades hoteleiras de Luanda, sob o lema “Iniciativas de Mediação ao Nível Regional: Desafios e Oportunidades”.