Connect with us

Mundo

África do Sul prepara-se para eleições mais competitivas desde o apartheid

Published

on

O gabinete do presidente Cyril Ramaphosa anunciou esta terça-feira, 20, que a África do Sul realizará eleições nacionais e provinciais no dia 29 de Maio, naquela que está a ser vista como as eleições mais competitivas desde o fim do sistema de apartheid.

As agências internacionais destacam que “os analistas políticos preveem amplamente que o partido no poder, Congresso Nacional Africano (ANC), perderá a sua maioria parlamentar pela primeira vez desde 1994, com cortes de energia recordes, má prestação de serviços e elevados níveis de desemprego entre as queixas dos eleitores”.

Recordar que nas eleições autárquicas de 01 de Novembro de 2021, o ANC sofreu os piores resultados da sua história, obtendo, pela primeira vez, menos de 50% do total dos votos expressos a nível nacional (47,9%).

E também pela primeira vez, sondagens indicam que o partido de Nelson Mandela poderá ter em torno de 0% dos votos, desde que ganhou as primeiras eleições na África do Sul, em 1994, apos o fim do apartheid.

Caso isso ocorra, o “ANC terá de entrar numa coligação para permanecer no governo e manter Ramaphosa – um protegido político de Mandela – como presidente para um segundo e último mandato de cinco anos. A África do Sul nunca teve uma coligação a nível nacional devido ao domínio do ANC”, destaca a Reuters.

Com esta previsão, a Aliança Democrática centrista, principal partido da oposição na África do Sul, tem mantido contacto para “formar uma coligação de partidos da oposição com o objectivo de forçar o ANC a sair completamente do governo, embora todos esses partidos tivessem de aumentar consideravelmente a sua percentagem de votos para ultrapassarem coletivamente os 50%”.