Connect with us

Politica

“África deve fazer mais para aproveitar os seus recursos naturais”

Published

on

“África deve fazer mais para aproveitar o sol abundante que tem disponível e os cursos de água que atravessam o continente, transformando ambos recursos naturais em electricidade amiga do ambiente”, disse hoje, terça-feira, 17, o presidente João Lourenço, durante painel sobre o acesso à energia limpa, disponível e de confiança.

O Chefe de Estado angolano chamou atenção ainda para o facto de serem “os países mais industrializados do mundo, infelizmente, aqueles que mais poluem“, considerando que “África aspira igualmente à industrialização para que as suas populações tenham melhor padrão de vida, mas que é imperioso que essa industrialização se faça à custa de energias limpas“.

Para tal efeito, o Presidente da República que se encontra em Abu Dhabi a participar da Semana da Sustentabilidade, defendeu que é fundamental, entre outras acções, “que os países industrializados do Norte cumpram com a promessa feita na COP 26 de Glasgow (Escócia) de financiarem a transição energética dos países do Sul”.

Segundo o comunicado da presidência, João Lourenço referiu também ser muito importante que sejam concedidos créditos em “boas condições aos países que deles necessitam para avançarem com a produção de energias limpas, promover a capacidade de atrair o investimento privado e fortalecer a aliança entre o público e o privado na criação de infra-estruturas no domínio energético”, deixando um alerta: “é preciso agir rápido”.

COP28

De ressaltar que de 30 de Novembro a 12 de Dezembro do presente ano, vai acontecer, no Dubai a cimeira sobre as Mudanças Climáticas “COP 28”. Em relação ao evento, João Lourenço diz que aguarda o mesmo com grande expectativa para se “perceber a experiência de um país (Emirados Árabes Unidos) grande produtor de petróleo e que poderia se acomodar, mas que vemos, ao em vez disso, a investir fortemente em fontes não poluentes e na inovação constante nesse domínio”.

“Isso é demonstração de uma política determinada nesse campo e temos todos muita esperança, por isso, nos resultados da COP 28 que será daqui a poucos meses“.

Formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, a profissional actua no mercado de comunicação há 18 anos. Iniciou a sua carreira em 2004, apresentando um programa de rádio e logo migrou para a comunicação digital, para a impressa e, posteriormente, a institucional. Tem vasta experiência como web journalist, criação e gestão de redes sociais, tendo participado dos projectos de desenvolvimento de diversos sites, blogs e redes sociais governamentais, privados e do terceiro sector. Reside em Luanda desde 2012, tendo trabalhado como jornalista no portal de notícias Rede Angola, como assessora de imprensa e directora de Comunicação e Operações nas Agências NC - Núcleo de Comunicação e F.O.T.Y, atendendo diversos clientes governamentais e privados. Actualmente trabalha como editora do portal Correio da Kianda.