Connect with us

Sociedade

Administração Municipal de Talatona acusada de apropria-se de um Centro Médico

Published

on

O presidente da Cruz Vermelha de Angola, Alfredo Elavoco Pinto, disse recentemente em conferência de imprensa, ter solicitado ao governo angolano a devolução do patrimônio da organização que está em posse de “pessoas bem identificadas”, e que a organização que dirige, pretende reaver, tendo dado como exemplo, o Centro Médico do Talatona, encerrado pela administração Municipal, a quem o gestor acusa de querer apropriar-se do Imóvel.

Elavoco Pinto, avança que pessoas ligadas ao governo querem reabilitar a unidade hospitalar para transformá-la em uma clinica privada. O responsável disse ainda, após varias tentativas falhadas para reaver o patrimônio junto da administração Municipal de Talatona, tiveram que recorrer a justiça com o objectivo de reaver o Imóvel.

O Centro Médico financiado pela Cruz Vermelha Espanhola e pela agência de cooperação daquele país, encontra-se em litígio desde 5 de Agosto de 2021, entre a administração do Talatona e a Cruz Vermelha de Angola. O posto de saúde actualmente encerrado tinha uma capacidade de atendimento diário de trezentos pacientes num total de três mil ao mês.

Alfredo Elavoco Pinto disse ainda que o centro encontra-se encerrado desde 5 de Agosto de 2021, por ordem administração, que tinha enviado no local agentes da policia Nacional, fortemente armados, e que terão encerrado o Centro, tendo deixado vários cidadãos de Talatona sem assistência medica, e vários materiais e equipamento em estado de putrefação.

Entre outros imóveis que a Cruz Vermelha pretende reaver, encontram-se nas províncias de Benguela, Malange, Namibe, Luanda, Kwanza-Norte.

De acordo com o responsável, a Cruz vermelha já levou tais preocupação ao Presidente da República para mediar na recuperação destes imóveis.

Entretanto, Administração Municipal de Talatona, através de Hélder Neto, Director Municipal da Acção Social, falando ao Correio da Kianda, não desmente as acusações, mas assegurou que o assunto está em tribunal.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *